Investimento de R$ 228 milhões em 20 meses deverá acabar com o racionamento de água em Cuiabá

0 126

Foto: Gustavo Duarte

Cuiabá está caminhando rumo à universalização do saneamento básico, com o investimento de R$ 228 milhões ao longo de 20 meses. Os recursos, que compreendem o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Prefeitura de Cuiabá, o Ministério Público do Estado e a empresa Águas Cuiabá, representam parte dos esforços dedicados, que contam também com o empenho de R$ 1,2 bilhão pelos próximos sete anos. Uma fração desta quota resultou na entrega da primeira etapa do Sistema de Abastecimento do Ribeirão do Lipa, realizada ontem (3). As obras permitirão o aumento no volume de água captada, tratada e distribuída, contemplando cerca de 50 mil pessoas em 23 bairros. A solenidade ainda foi marcada pela apresentação do plano de ação para os 300 anos da Capital, que inclui uma série de medidas que transformarão a atual realidade enfrentada pelo município.

“Este emblemático ato representa a redenção da história do saneamento básico de Cuiabá. Como o maior investimento do gênero já realizado em nossa Capital, vamos finalmente virar a página deste momento de reveses, fracassos e decepções vivenciados pelo nosso povo. Essas e outras medidas promoverão o crescimento sustentável das diversas regiões presentes, proporcionando também o respeito à saúde pública, gerando economias significativas na remediação de problemas oriundos do consumo da água impotável”, afirmou o prefeito Emanuel Pinheiro.

As obras no Sistema Ribeirão do Lipa envolveram a instalação de 8 km de novas adutoras. Essas grandes tubulações de ferro fundido são responsáveis por levar a água tratada diretamente das ETAs à rede de distribuição e foram elaboradas a fim de prevenir rompimentos e eventuais danos ao fornecimento do serviço. Os investimentos foram ainda mais além, com a instalação de 6,5 km de redes de distribuição dos recursos hídricos e a construção dos reservatórios Altos do Ribeirão e Bom Clima. Ao todo, ambos possuem a capacidade de armazenamento correspondente a 5,9 milhões de litros. Esta primeira etapa custou R$ 18,2 milhões.

“A ampliação do sistema representa uma atitude ousada, o primeiro passo para o fim da intermitência do abastecimento de água na região do Ribeirão do Lipa. Todo o trabalho feito aqui também pensa adiante, considerando o crescimento inerente da procura que a instalação do novo Pronto Socorro trará. O hospital possui uma estrutura grandiosa e com certeza terá uma demanda latente, que eventualmente exigiria ampliações desse porte. Além disso, já recebemos uma série de solicitações de disponibilidades de água e esgoto, o que significa que novos imóveis serão levantados na área. Para que possamos atender todas as esferas corretamente e cumprir o TAC firmado, é preciso estruturar nossa ETA, o que garantirá também que o fornecimento dos recursos sejam garantidos 24h com qualidade para a Capital”, revelou Marcelo Oliveira, diretor da Águas Cuiabá.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta