Convenção do PSOL em agosto deverá anunciar Procurador Mauro ao governo

0 20

Após gerar expectativa sobre qual cargo disputaria nas eleições de outubro, o procurador da Fazenda Nacional, Mauro César Lara Barros (Psol) volta ao cenário político e irá concorrer novamente ao Governo do Estado. Pautado na estratégia de não realizar pré-campanha e assim evitar especulações, o lançamento da candidatura deve acontecer apenas na convenção do partido em agosto, em Cuiabá, na Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (Adufmat).

Existia a expectativa de Mauro Lara concorrer ao Senado, já que duas vagas estão em jogo, ou até mesmo a deputado federal, como na última eleição estadual. Em 2014, o Procurador recebeu mais de 85 mil votos e foi o sexto mais votado no Estado.

Porém, não foi eleito porque a legenda não atingiu o coeficiente partidário. O Psol em Mato Grosso deve manter os ritos de todas as campanhas, onde não coliga com nenhum outro partido.

A executiva da sigla determinou que os trabalhos estejam baseados no realizado nas eleições municipais de 2016. Inclusive, o procurador só falará sobre eleições após a aprovação da candidatura pelo partido.

Na ocasião, o procurador Mauro por pouco não chegou ao segundo turno na disputa em Cuiabá, numa disputa acirrada com o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e o deputado estadual Wilson Santos (PSDB).  “Queremos fazer o mesmo feito de 2016. Tivemos peso político contra os adversários e quase fomos para o segundo turno”, disse Wilson Lara, membro da executiva da legenda e irmão do Procurador Mauro.

O dirigente do PSOL também pontua que seu irmão tem o perfil que o eleitor deseja, sem grupos políticos, e que não busca voto por interesses pessoais. Ainda descreve que os pré-candidatos ao governo, Pedro Taques (PSDB), Mauro Mendes (DEM) e Wellington Fagundes (PR) são da mesma “ninhada” e que população almeja mudança. “O povo não quer mais a mesma coisa que está aí, quer mudança. A população quer um voto consciente”, aponta.

RACHA INTERNO

No início do ano, dois membros do Psol anunciaram a pré-candidatura ao governo pelo partido: o policial Leonel Reis e professor Alex. No entanto, Wilson disse que a executiva decidiu em escolha unanime pelo Procurador sem necessitar de outras discussões.

Na nacional os rumos do partido segue em apoio aos petistas e comunistas. O partido lançou a pré-candidatura a presidência da República de Guillherme Boulos, que tenta garantir espaço no grupo e ser o substituto do ex-presidente Lula Inácio da Silva, preso após ser condenado por recebimento de propima envolvendo um Triplex no Guarujá.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta