Deputado Paulo Araújo vê erro político gravíssimo de Mauro Mendes ao brigar com servidores

316

O deputado eleito Paulo Araújo (PP), avaliou como conturbada e conflituosa a relação prematura do governador Mauro Mendes (DEM), com um dos seus principais cabos eleitorais nas eleições de 2018: os servidores públicos estaduais. Contrário as atitudes do atual governo, Paulo Araújo afirmou, que Mauro Mendes comete erro gravíssimo ao incorrer, nos mesmos erros do ex-governador, Pedro Taque, que teimou por não dialogar com os servidores públicos. “Se eu estivesse na atual legislatura votaria contra o governo. É um erro político e grave quando o governador não quer ouvir os servidores e passa um rolo compressor sobre os funcionários do próprio governo. Tem que dialogar e muito”, disse.

As declarações de Paulo Araújo ocorreram, ontem a noite (22), durante sessão solene na Câmara de Vereadores de Cuiabá, quando ele renunciou ao cargo de vereador, para assumir a cadeira de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, no próximo dia 1º de fevereiro.

Há mais de uma semana, os funcionários travam uma verdadeira batalha com Mauro Mendes, que impôs a extinção de seis empresas púbicas e os direitos trabalhistas adquiridos, pelos servidores. Os conflitos foram avaliados por Paulo Araújo como desnecessários. “Bastante conflito e dias conturbados entre servidores, deputados e o próprio governo que é desnecessário caso houve o desprendimento do governo para o diálogo”, observou o deputado.

Ele se mostrou contrário às iniciativas do governador, em apontar os direitos trabalhistas dos servidores estaduais, como um dos principais fatores que provocou a crise financeira instalada nos últimos três anos na gestão do ex-governador, Pedro Taques (PSDB). “Essa visão do governador em colocar a situação financeira do Estado nas costas dos servidores públicos do próprio Executivo está totalmente errada. E não vimos nenhuma reclamação ou proposta em relação aos demais poderes, inclusive para avançar nos projetos de reforma administrativa e na lei de responsabilidade fiscal”, analisou.

Segundo deputado, as consequências dessa discussão entre servidores e governador, pode impactar no inicio do mandato dos novos dez deputados, que tomam posse em 1º de fevereiro.  Para Paulo Araújo,  o governador deveria esperar a posse dos novos parlamentares para debater as propostas que encaminhou para o Legislativo. “Com certeza que isso vai impactar na nossa legislatura para os próximos quatro anos. Deveríamos ter participado efetivamente dessas discussões até para legitimar esses projetos encaminhados pelo Executivo”, avaliou o parlamentar.

Mesa diretora da AL – Paulo Araújo acredita ser superficial, a denominação de deputados novos e os que têm experiência, para comporem a Mesa Diretora Biênio 2019/2021, na eleição interna que acontece logo, após a cerimônia de posse dos parlamentares, no próximo dia 1 de fevereiro. Mas ele defende que seja um parlamentar com características de agregar as demandas de todos os deputados. “É muito superficial fazer essa avaliação de novos ou antigos. Acredito numa chapa capaz de agregar a maioria dos deputados. Esse deve ser o perfil do futuro presidente”, afirmou.

Deixe uma resposta