Deputado defende candidato à Mesa Diretora que atue pela redução de despesas no Legislativo

204

 

Sid Carneiro

O deputado eleito, João Batista (PROS) defende a eleição deum presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso que preze pela redução de custos do Parlamento. João Batista confirmou ter conversado com diversos deputados estaduais e até mesmo com os pretensos à Mesa Diretora, deputados candidatos, Janaína Riva (MDB) e Eduardo Botelho (DEM) que disputará a reeleição. “Tenho conversado com todos os antigos e novatos. Mas particularmente vou optar por aquele candidato que tenha o projeto para que haja uma economia do parlamento e que possamos contribuir mais para os investimentos na saúde e educação. Com certeza estarei apoiando”, afirmou João, durante visita ao vereador Dilémário Alencar (PROS), na última quinta-feira, na Câmara de Vereadores de Cuiabá.

O atual presidente do Legislativo, Eduardo Botelho, tem trabalhado com o último orçamento de R$ 500 milhões, que poderá ser aumentado em até R$ 800 milhões para o exercício de 2019. O dinheiro é utilizado para o pagamento da folha de pagamento de efetivos, comissionados, aposentados e pensionistas, além dos custeios e despesas de logística do legislativo.

João Batista observou que mesmo com a redução dos custeios, o parlamento conseguirá manter sua estrutura em funcionamento atendendo as necessidades dos parlamentares e da sociedade. “Apesar da economia é importante que também tenhamos estrutura de atuação na capital e no interior do Estado, onde tivemos o reconhecimento de centenas de eleitores. Os deputados devem estar presentes nas regiões de Mato Groso e corresponder a votação que receberam”, justificou.

Entre as conversas que teve com os demais deputados, João Batista disse que há uma divisão de opinião entre os que rejeitam a devolução de parte dos duodécimos para o Estado, por desconfiarem sobre a forma como o governador irá administrar os recursos. “É possível sim, a Assembleia Legislativa contribuir mais com o governo na devolução dos recursos. Ou então que o legislativo gaste em ações direcionadas para a educação, saúde, cultura e esporte, mas que o dinheiro seja realmente investido no bem estar social e não apenas para mordomias dos parlamentares”, disse João.

Para o deputado, o bom gestor conseguirá fazer economia dos recursos públicos, mesmo diante da propagada crise financeira alegada pelo atual governador derrotado à reeleição, Pedro Taques (PSDB) e o governador eleito, Mauro Mendes (DEM). “O bom gestor fará uma boa economia. Se estamos passando por um momento de crise financeira como diz o governador que está saindo e o que está entrando, então é necessário que todos contribuam. O que não pode é o governo afirmar que vai apertar o trabalhador, enquanto que as instituições podem reduzir despesas”, disse João Batista livrando apenas a Defensoria Pública, que segundo ele, é a única que atende uma grande parte da população sem estrutura adequada.

“Já fui representante classista e ouvi todos sobre o assunto. E a Defensoria Pública é a única que não pode reduzir seus custos, porque é quem realmente atende a população mais necessitada. Mas os outros podem sim. Existe uma margem de gordura que eles podem queimar e devolver para o Executivo”, afirmou o deputado.

João Batista é funcionário público da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso. Ele presidiu até se eleger deputado estadual nas eleições deste ano, o Sindicato dos Agentes Peneticiários do Estado (SINDSPEN). Ele obteve 11.374 votos válidos.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.