Vereador cuiabano participará de expedição à Antártica

138

A convite da Marinha do Brasil, o líder do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), vereador Luis Claudio (PP) viajará para a Antártica no “9º Voo de Apoio à Operação Antártica XXXVII”, do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) entre os dias 25 e 30 de agosto deste ano, onde representará a Câmara Municipal de Cuiabá.

“Como filho de marinheiro eu me sinto extremamente lisonjeado, orgulhoso de estar representando vocês lá. Porque para mim, pelo meu pai não estar presente entre nós é motivo de muito orgulho ter uma notícia dessa”, destacou o vereador Luis Claudio, em sessão plenária.

A finalidade do programa é oportunizar pessoas públicas ou ligadas de alguma forma a Marinha em conhecer um pouco dos trabalhos realizados na Estação Brasileira na Antártica Comandante Ferraz.

Esclarecer as complexas interações entre os processos naturais antárticos e globais é essencial para a preservação da própria vida. A Antártica é o principal regulador térmico do planeta, controla as circulações atmosféricas e oceânicas, influenciando o clima e as condições de vida na Terra. Além disso, é detentora das maiores reservas de gelo (90%) e água doce (70%) do Planeta e de recursos minerais e energéticos incalculáveis.

A condição do Brasil de país atlântico, situado a uma relativa proximidade da região antártica (é o sétimo país mais próximo), e as óbvias ou prováveis influências dos fenômenos naturais que lá ocorrem sobre o território nacional, já de início, justificam plenamente o histórico interesse brasileiro sobre o continente austral.

Essas circunstâncias, além de motivações estratégicas, de ordem geopolítica e econômica, foram fatores determinantes para que o país aderisse ao Tratado da Antártica, em 1975, e desse início ao Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), em 1982.

A entrada do Brasil no chamado Sistema do Tratado da Antártica abriu à comunidade científica nacional a oportunidade de participar em atividades que, juntamente com a pesquisa do espaço e do fundo oceânico, constituem as últimas grandes fronteiras da ciência internacional.

O nome da Estação Brasileira na Antártica é uma homenagem ao Capitão-de-Fragata Luiz Antônio de Carvalho Ferraz. Ele representou o Brasil em inúmeros conclaves internacionais e foi membro da subcomissão encarregada de elaborar o projeto do PROANTAR, sob a responsabilidade da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (SECIRM).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.