Sindenergia-MT participa do 4º Fórum Regional de Geração Distribuída com Fontes Renováveis em Goiânia

117

As potencialidades das energias renováveis de Mato Grosso foi um dos temas do 4º Fórum Regional de Geração Distribuída com Fontes Renováveis – Região Centro Oeste realizado recentemente, em Goiânia-GO. Atualmente, Mato Grosso ocupa o 4º lugar no ranking entre os estados com maior potência instalada em geração solar distribuída e Cuiabá está em 7º lugar entre os municípios no país.

O Fórum GD é um dos principais eventos do Brasil voltado para o setor de Geração Distribuída com fontes renováveis. O evento reúne provedores de soluções, EPCs, integradores, distribuidores, fabricantes, profissionais e acadêmicos, que tem em comum a atuação direta ou indireta na geração distribuída oriunda de fontes renováveis de energia.

O presidente do Sindenergia – MT, Eduardo Oliveira, participou da abertura oficial. O diretor de GD e Energias Renováveis do Sindenergia – MT, Carlos Rocha, foi um dos palestrantes.

“Fomos muito bem recebidos e fizemos um excelente networking no evento. Trocamos experiências com empresários do setor que trabalharam muito e, hoje, são referências. Conhecemos inovações tecnológicas, algumas até que nem chegaram da China, novas tecnologias de células fotovoltaicas que melhoram a eficiência energética de 16% a 20%. A célula bifaciais, que aproveita a luz que passa por ela, reflete no chão e volta. Inversores de frequência, protetores contra furtos, além de conhecer também um pouco da experiência do setor em Goiás. Fizemos parceria que irão dar frutos, vamos trazê-los para nossos próximos eventos”, ressaltou Eduardo.

Carlos Rocha falou sobre a geração distribuída em Mato Grosso, fez uma rápida passagem sobre a vitoria do setor com a aprovação do substitutivo do PLC/053, que garante o incentivo existente para a energia solar fotovoltaica, e demais fontes renováveis, por um prazo de oito anos, a partir de janeiro de 2020. Rocha falou sobre as potencialidades das energias renováveis de Mato Grosso, além de apresentar as oportunidades da geração distribuída no estado.

“Energia é vida e sem energia não existe a humanidade. Portanto, temos um grande desafio que é gerar energia com o menor impacto ambiental possível”­, afirmou Carlos.

A Geração Distribuída com Fontes Renováveis tem aumentado sua participação na matriz elétrica nacional de forma expressiva nos últimos anos e, tendo grandes possibilidades de crescimento ainda mais acentuado.

De acordo com o balanço da ABSOLAR, Mato Groso acumula cerca de 47,8 megawatts (MW) de potência instalada, o equivalente a quase 5,8% do que é produzido na geração solar distribuída no país. Já Cuiabá reúne 7,7 MW o que corresponde a 0,9% da geração solar.

Ainda segundo o mapeamento, o estado possui atualmente cerca 3,7 mil sistemas de geração distribuída renovável de pequeno porte em telhados e pequenos terrenos, com mais de R$ 525 milhões de investimentos acumulados e mais de dois mil empregos gerados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.