Em Lucas do Rio Verde, vereadores querem explicação de prefeito

9

A pauta de votações da Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde está temporariamente fechada para os projetos do Executivo. A decisão foi anunciada pelo presidente Dirceu Cosma (PV), durante a sessão ordinária, da última segunda-feira (07).

A medida tem como objetivo exigir do prefeito Luiz Binotti explicações sobre as declarações feitas por ele, na imprensa. No vídeo, Binotti afirma que as coisas não estão acontecendo porque os vereadores não estão aprovando os projetos.

“A pauta está trancada até que ele se retrate, se pronuncie perante a sociedade, porque se as coisas não estão acontecendo, não é culpa dos vereadores, é culpa dele mesmo”, ressaltou o presidente Dirceu Cosma.

Atualmente, apenas três projetos estão tramitando na casa há mais de 30 dias, o que trata do pagamento de verba indenizatória ao Executivo e dois projetos que solicitam R$ 9 milhões em empréstimos.

Segundo o presidente, já foram aprovados pelos vereadores mais de R$ 35 milhões em empréstimos. Os valores seriam investidos em obras de esgoto e abastecimento de água.

“Nós não estamos aqui pra brincar, fomos eleitos para fazer o melhor pela cidade. Só iremos votar esses dois projetos quando a prefeitura iniciar as obras referentes aos empréstimos já aprovados, porque até agora, eu não vi nada.”

Além das declarações do prefeito, a Câmara de Vereadores também exige explicações do Executivo sobre o documento entregue pela 21ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), aos vereadores e Ministério Público.

No relatório, a OAB questiona a conduta ética do procurador municipal André Pezzini, a respeito do processo de cobrança de IPTU dos terrenos da Novo Tempo Empreendimentos Imobiliários, de propriedade do prefeito.

Segundo o vereador Mano (PDT), até 2016 o advogado trabalhava na prefeitura e defendia os interesses do município, a partir de 2017, não mais no poder público, passou a defender os interesses da empresa e no ano passado, voltou a prefeitura.

“É uma denúncia muito grave. No meu entendimento há vícios. O valor da dívida é significativo, são quase R$ 20 milhões, que poderiam ser investidos em setores importantes. Espero que o prefeito e o Ministério Público se pronunciem sobre o caso.”

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta