Governador inaugura COT da UFMT e anuncia jogos do Sub-20 de Atletismo em junho

A obra custou aos cofres públicos, mais de R$ 17 milhões, mas por desvios de verbas nas gestões passadas, ficou parada por seis anos

303

Sid Carneiro

O governador Mauro Mendes (DEM) inaugurou ontem (28), o Centro Olímpico de Treinamento na Universidade Federal de Mato Grosso, uma importante obra que custou aos cofres públicos, mais de R$ 17 milhões, mas por desvios de verbas nas gestões passadas, ficou parada por seis anos. O COT vai receber jogos do Campeonato Brasileiro Sub-20 de Atletismo, no mês de junho deste ano, segundo anúncio feito pelo próprio governador, que recebeu aplausos de centenas de atletas e dirigentes esportivos que prestigiaram a entrega da obra para a sociedade mato-grossense.

No entanto, o governador voltou a ressaltar o descaso de gestões anteriores que deixaram a obra atrasadas por mais de seis anos. “É com muita alegria que entregamos essa obra importante para todos os mato-grossenses, mas com um pouco de vergonha pelo atraso dela que deveria ser inaugurada em 2014 e ficou parada por esses longos seis anos”, lamentou o governador.

Além do COT da UFMT, o governador tem ainda, o desafio de concluir a obra do segundo COT em Várzea Grande que estava na programação de obras elencadas pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), com previsão de inauguração, durante a semana da realização de quatro  jogos de futebol que foram realizados na Copa de 2014, na Arena Pantanal, a única obra que foi entregue no tempo previsto.

De acordo com o governador, o COT do Pari em Várzea Grande necessita de pelo menos R$ 20 milhões para os investimentos que ainda faltam. Mas o Estado precisa concluir um estudo de viabilidade técnica para saber se a obra é mesmo uma prioridade a ser atendida ainda neste ano. “Estamos querendo saber se é prioridade concluir aquela obra e temos outras demandas prioritárias como terminar o hospital central, concluir o hospital Julio Muller e outras obras no interior do estado”, argumentou.

Ao considerar os fatores que contribuíram para a conclusão do COT da UFMT, o governador disse que houve coragem e determinação da sua administração para tirar o Estado da crise financeira ainda no primeiro ano do seu governo. “Foi um conjunto de fatores que começaram pelas medidas corretas que tomamos em 2019 e que permitiu o governo, equilibrar o caixa e economizar dentro do governo e fazer sobrar dinheiro para investimentos em mais de 200 obras que iniciamos no ano passado”, afirmou Mauro.

A corrupção nas gestões anteriores em obras do Estado foram duramente critica pelo governador que não poupou os maus gestores. “Fui prefeito de Cuiabá por quatro anos e não pesa sobre mim e nem meus ex-secretários, nenhum tipo de acusação do Ministério Público em relação às obras da nossa administração neste período. Quero sair do governo de Mato Grosso de cabeça erguida e vamos trabalhar para entregar todas as obras”, disse Mauro.

O VLT é outra obra que também deveria ter sido inaugurada na Copa de 2014. Foram gastos mais de R$ 1 bilhão sem que ela tivesse sido concluída. Conforme o governador, novos estudos na atual gestão estão avaliando a retomada do VLT ou a troca por BRT. “Não vou brotar com uma solução milagrosa, porque chega de erros cometidos lá atrás. Agora, estamos com  estudos técnicos e honestos para serem apresentados para a sociedade”, resumiu Mauro Mendes.

Deixe uma resposta