Deputado critica fala de Bolsonaro em rede nacional sobre medidas de prevenção ao Coronavírus

155

Sid Carneiro

Integrante do Observatório Socioeconômico de Mato Grosso, o deputado João Batista (PROS) criticou a postura do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), durante declaração em rede nacional ao reiterar suas observações sobre as ações dos governadores e prefeitos para conter o avanço do Coronavírus no país. Bolsonaro sugeriu a reabertura de escolas e que as pessoas voltem aos postos de trabalhos nos comércios e indústrias, além de dizer que está imune de uma “gripezinha”.

“Muito louco. Como um presidente pode administrar o país comprando briga com 27 governadores e a imprensa? Ele tinha que ser o líder maior nesse período difícil para todos nós”, avaliou João Batista.

O deputado disse que está preocupado com as declarações do presidente. “Independente de ser Bolsonaro, líder maior no Estado tem que ser o governador e tem que ser ponderado, tem que ouvir, embora o governador de Mato Grosso, às vezes seja muito teimosão”, afirmou.

Conforme João Batista, esse é o momento de motivar a população e os políticos mostrar trabalho fiscalizando e organizando, não proporcionando o caos. “Neste momento os políticos não devem se excluir dos debates, porque têm a obrigação de fiscalizar, organizar e buscar resolver os problemas, da mesma forma os setores da saúde e segurança. Enquanto o cidadão fica em casa, temos que ir para as ruas, nos unirmos e darmos as mãos. O presidente consegue criticar até a imprensa. Aonde já se viu isso? Ele tem que acabar com essa briga dele com o PT e a Globo” disse João Batista.

Conforme o deputado, o Observatório tem como objetivo identificar os problemas e repassar para uma equipe de governo buscar soluções que atenda as demandas da população. “Tem representantes do setor produtivo que não estão radicalizando para acabar com isolamento. Querem facilitar a vida do cidadão sem colocar em risco a vida de todos”, afirmou.

Segundo João Batista, o governo vai apresentar a regulamentação padronizada de decisões entre o Estado e os municípios.  Uma reunião ontem na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) alinhou as ações das prefeituras no combate ao Coronavírus. “Cada um que fazia um decreto com algumas restrições integrais, proibindo a circulação de pessoas, fechando cidades. O governador não vai mais destinar policiamento para atender essas demandas. Ou padroniza ou só atende o decreto do Estado de Mato Grosso”, disse o deputado.

O Observatório tem ainda, o apoio de um aplicativo chamado Zoom, que permitirá a realização de sessões e reuniões por meio de vídeo-conferência. “Podemos realizar e sessões quando for necessário. Então, cada um colhe informações e repassa para o governador alterar o decreto e facilitar a vida dos setores sem negligenciar o isolamento”, disse o deputado.

 

1 comentário
  1. Marina Diz

    Pois né se João Batista crítica o presidente mas não vê o governador falar que talvez não vai dar pra pagar nossos salários por causa da quarentena.e aí o Sr vai pagar meu salário qdo não tiver mais nada pra por dentro da minha casa .o Sr deveria ver o que o povo acha disso .mas o povo que precisa e não aqueles que tem condições de ficar sem trabalho pq tem condições financeiras.o povo não e besta como vcs políticos acham.ja tava decepcionada por ter votado em vc.agora tenho certeza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

1 comentário
  1. Marina Diz

    Pois né se João Batista crítica o presidente mas não vê o governador falar que talvez não vai dar pra pagar nossos salários por causa da quarentena.e aí o Sr vai pagar meu salário qdo não tiver mais nada pra por dentro da minha casa .o Sr deveria ver o que o povo acha disso .mas o povo que precisa e não aqueles que tem condições de ficar sem trabalho pq tem condições financeiras.o povo não e besta como vcs políticos acham.ja tava decepcionada por ter votado em vc.agora tenho certeza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.