Em Barra do Bugres, PM apura saldo de execução de três jovens e um ferido

60

Um atirador, ainda não identificado, invadiu uma casa durante a madrugada desta sexta-feira (17) e cometeu uma chacina contra trabalhadores terceirizados da usina Barralcool, no bairro Maracanã, em Barra do Bugres (168 km da Capital), onde deixou três jovens mortos e outro ferido.

Uma quinta vítima, 20 anos, que estava dormindo no momento da invasão, conseguiu escapar e se esconder em cima de uma árvore no quintal da casa.

Entre as vítimas mortas, apenas um corpo foi identificado como sendo de Vinícios Nascimento Barroso, 22 anos. As outras duas vítimas fatais ainda não tiveram os nomes confirmados.

A Polícia Militar (PM) foi acionada no início da manhã, quando ao chegar ao endereço, na Rua Ayrton Senna, encontrou com um jovem de 22 anos, nome não revelado, sentado na calçada em frente à casa, com um ferimento à bala implorando por ajuda de quem quer que passasse pelo local.

Ao se aproximar da vítima, os policiais ainda conseguiram escutar gritos saídos de dentro da residência. O rapaz então relatou que no interior da casa havia duas pessoas já mortas, porém, um dos amigos ainda estava vivo e gravemente ferido.

A PM acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência  (Samu), que ao chegar no endereço conseguiu prestar os primeiros socorros ao rapaz ferido na calçada, mas o outro não resistiu e dentro da residência os paramédicos atestaram três mortes.

De acordo com a vítima que conseguiu escapar, e testemunhou todo o crime, ele estava em um dos quartos dormindo e foi acordado pelos barulhos causados pelos disparos de arma de fogo por volta das 04h30. Nesse momento, o colega que dividia quarto com ele, se levantou e abriu a porta para ver o que estava acontecendo e acabou sendo baleado.

Ainda segundo o relato da testemunha, o assassino chegou a disparar contra ele, porém, errou o tiro, então a vítima saiu correndo, empurrou o atirador e correu para o quintal nos fundos da casa, onde subiu em uma árvore e conseguiu se esconder.

Logo em seguida, a vítima conseguiu ver o criminoso indo embora. O rapaz relatou ainda que não conhece o atirador, mas que se trata de um homem de estatura média, pardo e de peso normal, não sendo gordo e nem magro.

A vítima não soube informar o que teria motivado o atentado contra os moradores da casa.

Os militares saíram em rondas pela região na intenção de encontrar o autor da chacina, de acordo com as características repassadas pela vítima, ou ainda de informações que ajudem a identificar o assassino.

Uma equipe de peritos da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foi acionada no endereço, onde analisaram todos os corpos encontrados e ainda periciou toda a residência, onde colheram provas e informações que apontem as circunstâncias do crime.

Em seguida os três cadáveres foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia, que vai confirmar a causa clínica das mortes.

A Politec emitirá um laudo nos próximos dias, que ajudará na apuração dos fatos.

A Polícia Judiciária Civil (PJC) acompanhou todo o trabalho da Politec, conversou com as testemunhas, vizinhos e deu início às investigações.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.