Ex-prefeito rejeita prorrogação de eleição municipal de 2020 em Mato Grosso

331

O ex-prefeito de Juara, Priminho Riva (PL) e, que trabalha sua pré-candidatura nas eleições municipais deste ano, rebateu as declarações do presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, que na semana passada, defendeu a prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos, diante da pandemia da Covid-19. “Ele é contra mesmo. Se continuar como está, para ele é muito bom, confortável administrar um orçamento volumoso e não ser incomodado” observou Priminho.

Neurilan Fraga emitiu uma carta defendendo o adiamento das eleições municipais de 2020 para o pleito de 2022, ou seja, unificando as eleições municipais. “Acredito que o apoio dele quanto a possível mudança na eleição de 2022, não reflete em nada. Não sei o que representa a opinião dele não sendo prefeito para o TSE e para a bancada federal de Mato Grosso em Brasília. Vejo uma opinião tendenciosa e de interesses. Tenho certeza que os novos prefeitos não votarão em candidato à AMM que não é prefeito”, ressaltou.

Priminho questionou a credibilidade da AMM, sendo dirigida por um ex-prefeito. “Não queremos a AMM da maneira como está. Tem que ser muito mais participativa como já foi. AMM tem que mudar seu estatuto novamente como foi feito em 1997. Quem não é prefeito não tem compromisso com as prefeituras. Hoje, a AMM perdeu praticamente o sentido de suas funções municipalistas. Então temos que mudar”, afirmou Priminho.

De forma sugestiva, Priminho afirmou que a AMM deve ampliar o apoio às prefeituras que dependem de projetos para a realização de obras urbanas e rurais. “A AMM tem um corpo técnico que pode dar esse suporte”, disse.

Segundo Priminho, a função da AMM sempre foi dar apoio técnico aos municípios na montagem de projetos, acompanhamento dos projetos, na liberação dos recursos, nas discussões e avanços em vários setores, principalmente da agrícola. “A AMM foi criada para essa finalidade de atender as prefeituras. Hoje ouvimos muitos prefeitos reclamando que pagam anuidade, mas que também pagam caro para fazer até projetos de asfalto urbano. As prefeituras menores não tem condição e a AMM tem como executar essa função. Temos que ter uma AMM para atender a todos, mas com maior atenção as de pequenos e de médio porte”, alertou.

Neurilan que já foi prefeito por duas vezes em Nortelândia, não disputou a reeleição municipal em 2016, mas obteve aval da maioria dos refeitos à época, mudando o estatuto da AMM para disputar as eleições na instituição em 2018. Ele foi eleito com 82 votos contra 30 do atual prefeito de Araguainha, Silvio Moraes. Neurilan está em seu terceiro mandato como presidente da AMM.

“La é Associação Mato-grossense dos prefeitos de Mato Grosso e tem que ser comandada pelos prefeitos e não tem esse negócio ex-prefeito ser presidente. Sempre fui totalmente contra o Neurilan presidindo a AMM. Ele não é prefeito. O Neurilan não tem interesse que se mude para ele se perpetuar no cargo”, ressaltou Priminho.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.