Reeleito primeiro-secretário, Max Russi cita políticas de geração de emprego e medidas pós pandemia

20

Reeleito primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, o deputado Max Russi (PSB) pretende pautar os trabalhos do próximo biênio no incentivo às políticas de geração de emprego e medidas pós pandemia. O parlamentar teve sua primeira gestão, junto a Mesa Diretora, assinalada pela economia no parlamento.

É o que aponta um dos relatórios da Auditoria de Controle Interno da Casa Leis, revelando que em 2019 o Legislativo economizou mais de 14% em despesas, em relação a 2017, e aproximadamente 19%, se comparado a 2018.

Os dados do quadrimestre de 2020 já revelam uma redução de quase 15% dos gastos. Tais medidas também permitiram a devolução de R$ 30 milhões em recursos, que já auxiliam Mato Grosso no combate ao coronavírus.

O balanço inclui diárias, transporte aéreo, locação de veículos, energia, dentre outros custos. Conforme as informações quantitativas, no ano passado foi economizado o equivalente a 20% com gasto de combustível. Em números atualizados, 2020 já apresenta índices positivos.

“São ações que sempre se fizeram necessárias. Hoje, no período crítico em que estamos combatendo uma pandemia em crescimento exponencial no estado, precisamos concentrar as nossas forças neste combate”, avalia.

Outro fator considerado importante pelo deputado, decisivo para a implementação das políticas de enfrentamento a covid-19, foi a redução dos gastos com pessoal. De acordo com o mesmo levantamento quadrimestral, a porcentagem da taxa dos anos anteriores estava próxima do limite prudencial imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

 Os novos números mostram que os primeiros quatro meses foram deste ano encerrados com o percentual de 1,43% contra 1,66% da Receita Corrente Líquida (RCL) no mesmo período de 2019.

Segundo o deputado Max Russi, um dos pontos determinantes para a contenção de despesas foi a publicação da Resolução Administrativa nº 10/ 2020, que também estabeleceu a diminuição do fluxo de pessoas nas dependências do Poder Legislativo.

Ele afirma que a normativa ampliou as possibilidades de investimento na saúde pública, a partir do corte dos gastos relativos ao trabalho dos gabinetes.

“Para se ter uma ideia, foram diversas medidas de redução. A exemplo das despesas com diária, que foram reduzidas em 100%, assim como locações de ônibus e vans. Também reduzimos em com horas de voo, passagens e combustível”, esclareceu.

Como prioridades do segundo biênio, Russi defende uma gestão austera, valorizando os recursos públicos e que possibilite a implementação que incentivem o trabalho de recuperação econômica estadual.

“Precisamos pensar em medidas e ações pós-pandemia, para estado se desenvolver e dar tranquilidade à população”, reforçou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.