Controle de queimadas devem se estender por seis meses em Mato Grosso

19

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) apresentou o Projeto de Lei Complementar 35/2020 para ampliar de três para seis meses o período em que as queimadas são proibidas em Mato Grosso. Pela proposta de Lúdio, a proibição passaria a vigorar entre 15 de maio e 15 de novembro, abrangendo toda a estação seca.

O texto prevê, ainda, que, dependendo das condições climáticas, o órgão ambiental estadual poderá ampliar o período de restrição ao uso do fogo. O projeto foi um dos encaminhamentos definidos na audiência pública realizada por Lúdio no Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho, por videoconferência.

O deputado citou os prejuízos causados pelas queimadas ao solo, ao ar, aos ecossistemas, à biodiversidade e à saúde humana. “Esta proposta leva em consideração fatores climáticos e riscos que a poluição do ar traz à saúde humana, especialmente em um momento que o mundo enfrenta uma pandemia de uma síndrome respiratória, a covid-19”, disse Lúdio.

“Este ano teremos a tempestade perfeita, com efeito das queimadas sobre a saúde humana durante a pandemia da covid 19, que alcançará seu pico no mesmo momento que temos o pico das queimadas em Mato Grosso. O Ministério Público notificou o Estado para antecipar o período proibitivo para o dia 5 de junho. Infelizmente, o Estado não atendeu, antecipou por apenas 15 dias”, observou Lúdio. O governo estadual anunciou que, neste ano, o período proibitivo das queimadas deve ser entre 1º de julho e 30 de setembro.

Lúdio citou também o aumento do desmatamento ocorrido neste ano. O monitoramento realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre janeiro e maio, registrou um aumento de 11,83% dos focos de calor em Mato Grosso em relação ao mesmo período do ano passado.

“O período de proibição do uso do fogo para a limpeza e manejo de áreas proposto neste projeto corresponde ao período mais seco em Mato Grosso, quando a vegetação está mais vulnerável aos riscos de incêndio, e também o período em que aumentam as demandas de saúde com pessoas procurando atendimento médico por problemas respiratórios”, argumentou Lúdio.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.