Reencontro com o espelho

37

Carol Bispo

O visagismo é a arte de criar uma imagem personalizada para cada pessoa de acordo com seu desejo. A técnica foi criada pelo artista plástico Philip Hallawell e gira em torno da pergunta: “o que você deseja expressar pela sua imagem?”. O visagista consegue identificar as linhas dos temperamentos e qualidades de cada pessoa através do rosto, considerado pela técnica a sede da identidade. Trata-se de um método apoiado na ciência e em conhecimento milenares, que ainda leva em conta seu estilo de vida, suas exigências profissionais, suas necessidades particulares, seus desejos e preferências.

O sociólogo David Le Breton diz que “toda alteração no rosto marca a personalidade do indivíduo em sua forma mais profunda”. O visagismo é a construção de uma imagem. Na construção da imagem pessoal, a beleza não basta.  A imagem pessoal tem que revelar as qualidades interiores da pessoa e refletir a sua personalidade. O visagismo vem para desconstruir os padrões de beleza impostos pela sociedade, e fazer que a pessoa coloque para fora o que ela deseja.

É importante que essa imagem esteja em sintonia com quem a pessoa sente que é no seu íntimo, que expresse suas qualidades e valores. O equilíbrio entre a imagem do próprio rosto e a imagem interna é essencial para sua saúde mental, emocional e física, elevando sua autoestima e autoconfiança, impactando em tudo que está ao redor.

A adequação de imagem é feita com uma consultoria individual. Outras pessoas não participam para não influenciar nas escolhas. Ali são expostas muitas intimidades e é feita a conscientização sobre o temperamento, que é fundamental para a escolha do corte, cor e estilo de cabelo de cada um. Além de adaptar o corte e a cor do cabelo, o visagista também faz a indicação sobre a escolha da maquiagem e formato de sobrancelhas, buscando harmonizar o conjunto das características.

Através do formato do rosto são elencados os pontos positivos e os pontos que precisam ser trabalhados, de acordo com o desejo da pessoa.  Na proposta de adequação, algumas pessoas são mais abertas e se propõe a mudanças radicais pois já tem a segurança que o procedimento vai beneficia-la, enquanto outras têm mais medo da mudança. Nesse caso, o procedimento de adequação se dá de forma mais lenta, no tempo de cada, respeitando a individualidade de cada pessoa.

O momento em que a pessoa que passa por um processo de visagismo se olha no espelho é um dos mais belos que um profissional da beleza pode proporcionar para o outro ser humano.  É quando este se olha no espelho e diz: “esse sou eu?”. É o momento mágico do encontro da imagem exterior com a imagem interior, quando esta se materializa numa forma precisa.  A pessoa fica mais feliz, realizada, mais confiante e consegue se posicionar diante da sociedade. Sofre impactos muito positivos.

O visagista sabe do que a pessoa necessita, é como se desse um remédio para curar aquela dor. Depois de passar pela adequação de imagem, a pessoa se sente apaixonada por ela mesmo, se namora, se olha, quer tirar mais fotos. O comportamento do indivíduo muda imediatamente. Então, é fantástico ver esses resultados imediatos.  É transformador, uma realização profissional quando se vê essa satisfação.

O visagismo muda a concepção que a pessoa tem da própria imagem. Ela percebe que cuidar de sua imagem é de grande importância e significa mais que vaidade. Na realidade, tal consciência só acontece depois que ela passa por um processo de visagismo bem sucedido e percebe que o visagista é muito mais que um simples prestador de serviços. É um cúmplice na tarefa contínua de construir sua identidade.

*CAROL BISPO é visagista formada pela Philip Hallawell e hair designer da escola Internacional Pivot Point, além de designer de cachos Devacurl. Atende no espaço La Provence. Instagram: @carolbispo_visagista

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.