Comerciantes de Chapada dos Guimarães pressionam a prefeitura liberar geral as atividades no município

Em repressão, os comerciantes ameaçam não fazer entregas e nem abrir as portas, durante a Covid-19

66

O setor do comércio em Chapada dos Guimarães resolveu por conta própria não realizar entregas e nem abrir as portas, durante a pandemia do coronavírus. Os comerciantes alegam falta de apoio da prefeita Thelma de Oliveira (PSDB), que decretou medidas mais duras  no combate ao Covid-19.

O setor comercial vem pressionando a prefeita para liberar geral o setor. A prefeita argumentou  que existem um  decreto estabelecendo restrições que devem ser impostas a cidades com “risco alto” de contaminação, sendo que Chapada tem “risco muito alto”. Ou seja, a tucana diz que já flexibilizou o que podia.

O Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus de Chapada dos Guimarães divulgou nota neste domingo (19) acusando a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de orquestrar uma ação política para “desestabilizar as medidas de proteção à saúde pública” na cidade.

“A decisão dos postos de combustíveis e farmácias em se somar aos supermercados e distribuidoras é ilegal e cada pessoa que se sentir prejudicada pode acionar os estabelecimentos judicialmente”, diz nota do comitê.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.