Técnico do Cuiabá espera compensar falta de ritmo com amistosos em Goiás

54

A falta de treinamento em grupo e a indefinição de um estádio para estrear dia 8 de agosto contra o Brasil de Pelotas na abertura do Campeonato Brasileiro da Série B não devem afetar o desempenho do Cuiabá dentro de campo. A avaliação é do treinador Marcelo Chamusca, que além de reforçar o elenco com jogadores experientes e de sua confiança, trabalha o psicológico do elenco para um ano atípico, também, no futebol.

Chamusca lembrou que todos os clubes passam por dificuldades, iguais ou diferentes, em seus estados. Em Mato Grosso ele cita a paralisação do campeonato estadual como um dificultador para manter o ritmo de jogo, mas disse que espera compensar com os amistosos em Goiás.

“Claro que algumas equipes que nós vamos enfrentar nas seis primeiras rodadas vão retomar seus estaduais. A gente aqui não vai retomar, vamos ter que fazer alguns jogos-treinos fora daqui de Cuiabá, porque aqui a situação ainda está muito difícil. A gente vai para Goiânia jogar contra o Goiás e Atlético. A ideia é a gente tentar ritmar os nossos jogadores para que a gente possa minimizar esses danos que seriam a falta dos jogos oficiais antes do início da competição”, explicou.

O que falta em entrosamento e ritmo de jogo, Chamusca espera compensar com trabalho psicológico para reforçar o emocional dos atletas e da comissão técnica. Pela frente, o grupo terá que superar indefinições de escalação com jogadores suspeitos de contaminação pelo novo Coronavírus, jogar em estádios vazios e também a indefinição de locais para jogos, como a Arena Pantanal que está ocupada com o Centro de Triagem Covid-19.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.