Autoridades criticam Bolsonaro por veto à compra da vacina chinesa

21

Autoridades e políticos criticam a decisão do presidente Jair Bolsonaro de cancelar o acordo firmado pelo Ministério da Saúde para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, a vacina contra covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

A reportagem do Poder360 apurou que Bolsonaro enviou mensagens a ministros com o seguinte teor: “Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid-19“. O presidente e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), são desafetos políticos.

Eis as manifestações das autoridades sobre o caso:

O líder do PSB na Câmara dos Deputados, deputado federal Alessandro Molon (RJ), disse que Bolsonaro despreza a vida dos brasileiros.

Bolsonaro despreza a vida dos brasileiros. Suas ações misturam cálculo político rasteiro e desdém pela saúde pública. Insistiu na cloroquina, sem comprovação científica. Agora se recusa a considerar vacina desenvolvida sob protocolos científicos. De olho apenas em 2022, Bolsonaro mistura dados fantasiosos e medidas atrapalhadas para encobrir a pior reação governamental do planeta à pandemia”.

O deputado federal José Guimarães (PT-CE), líder da minoria na Câmara, disse que adotará medidas políticas e jurídicas caso se comprove a eficácia da vacina. “Vamos aguardar os desdobramentos. Caso se confirme que (a vacina) está funcionando, vamos tomar as decisões políticas e jurídicas.”

A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), chamou o presidente de “estúpido”, “ignorante” e “irresponsável”.

Presidente estúpido, ignorante e irresponsável. Trata ideologicamente assunto de saúde pública. Faz disputa política em cima da vida das pessoas, espalhando mentira e medo. Vai fazer o q? Esperar a sobra de alguma vacina americana?!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.