Prefeitura apoiou ensaio fotográfico em alusão ao Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher

78

Foto: Julio Rocha

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) do Município de Santo Antônio de Leverger realizou ensaio fotográfico com funcionárias da repartição, com objetivo de retratar, casos de violência doméstica atendidos por elas, durante a rotina de trabalho. A ação é em alusão ao Dia Internacional de Combate à violência contra a mulher, lembrado em 25 de novembro.

A secretária de Assistência Social do Município, 1ª Dama Tayane Araújo de Castro, destacou que a iniciativa está sendo realizada com o intuito de gerar reflexão e mudança de atitudes na população. Segundo ela, em razão da pandemia do Covid-19 e da necessidade do distanciamento social, as ações de conscientização deste ano estão sendo feitas em formato virtual. É importante citar que Mato Grosso é o terceiro estado que mais apresentou aumento nos casos de feminicídios no país. Os dados da 3ª edição do estudo “Violência doméstica durante a pandemia de Covid-19, foram divulgados no último mês de julho pelo Fórum Brasileiro de Segurança. O levantamento revela que, no Estado, os feminicídios cresceram em 157%.

A data foi estabelecida no Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe realizado em Bogotá, Colômbia, em 1981, em homenagem às irmãs Mirabal, que foram brutalmente assassinadas pelo ditador Trujillo em 25 de novembro de 1960 na República Dominicana – elas pagaram com a própria dignidade, a violência não somente contra a mulher, mas contra todo um povo.
Ao todo, 35 servidoras – profissionais do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Conselho Tutelar e outras unidades que fazem parte da Secretaria de Assistência Social, participaram da iniciativa.

As fotos foram feitas em duas etapas: na primeira etapa, as profissionais foram fotografadas com expressão de aflição, tristeza e hematomas – para retratar o estado que a mulher apresenta quando busca por socorro. Seguidamente elas foram fotografadas com glamour, como se estivessem se produzido para ir a uma festa – para lembrar o quanto a mulher precisa trabalhar a sua autoestima, o quanto muitas estão ofuscadas, perdidas dentro de suas casas, sem a oportunidade de enxergar sua importância e singularidade.

“Queremos garantir o direito da mulher. Nós devemos estar alegres, com a alto-estima elevada, satisfeitas com a nossa identidade, ou seja, cheias de confiança,” destacou a psicóloga Suzana Maria Arruda Amorim que integra a Equipe Volante do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – responsável por prestar serviços de assistência social a famílias que residem em locais de difícil acesso.

Maquiada com um hematoma roxo que retratava o rosto de uma mulher a qual prestou atendimento, a assistente social Solange de Arruda Santos, do Programa Família Acolhedora, relatou que a dor e a tristeza em prestar esse tipo de atendimento são imensuráveis. “São mulheres vitimizadas que infelizmente acreditam que perderam o valor através de atitudes de homens e até mesmo de outras mulheres que a maltrataram”.

Solange explicou que na maioria das vezes não há um hematoma exposto, porém existe um hematoma na alma. “Quando chega ao ponto de aparecer o machucado, a polícia já está junta ao caso. Cada atendimento desse tipo arde o coração da gente, a situação nos comove por que nós também somos mulher. Dói muito você olhar para um olho roxo e inchado e saber que foi outro ser humano que fez aquilo”, resume.

Para realizar uma denúncia de Violência contra a Mulher em Santo Antônio do Leverger – ligue para (65) 9 9969-2734 ou mande uma mensagem, sua identidade será preservada.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.