CNH vencida volta a ter prazo para renovação a partir de janeiro de 2021

33

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) decidiu revogar a Resolução 782/20 e a partir do dia 1º de dezembro, os prazos voltam a contar. Dentre eles está o prazo para renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Segundo o órgão, a nova resolução será publicada nos próximos dias.

Com isso, as CNHs vencidas após 19 de fevereiro deste ano, que não tinham prazo para serem renovadas por conta da pandemia Covid-19, agora já têm uma data para regularização do documento. Os prazos é para todos os condutores que tiveram habilitação vencida no período de 2020, inclusive aqueles com data anterior a 19/02/20.

CNH vencida 2021 terá trintas dias para se regularizar:

CNH vencida em janeiro de 2020 será renovada em 31 de janeiro de 2021; de fevereiro de 2020 renovará em 28 de fevereiro de 2021; março de 2020 renova em 31 de março de 2021 e assim sucessivamente até o final de 2021.

A situação volta ao normal para condutores com CNHs vencidas a partir de 1º de janeiro de 2021. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) permite dirigir por até 30 dias com a carteira vencida. O prazo de renovação da CNH permanece a cada cinco anos para condutores de até 65 anos. Acima dessa idade, a validade máxima é de três anos.

AMPLIAÇÃO

A ampliação da validade da CNH – com prazo de 10 anos para renovação – só valerá a partir de 12 de abril de 2021. Para Frederico Carneiro, que é presidente do Contran e diretor-geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o órgão estabeleceu regras que permitem a retomada dos serviços e prazos, de modo a causar o menor transtorno ao cidadão, adequando à capacidade de atendimento por parte dos órgãos de trânsito.

“Com a revogação da Resolução 782/20 será estabelecida uma nova contagem dos prazos, de maneira acessível, tendo em vista a normalização das atividades dos órgãos de trânsito e o retorno das atividades presenciais ao público e, portanto, o cumprimento dos prazos previstos na legislação”, diz.

Eliane Pietsak, pedagoga, especialista em trânsito acredita que deverá haver uma organização por parte dos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) para evitar correrias e aglomerações.

“Os órgãos que tinham retornado ao expediente presencial, ainda que parcialmente, em teoria, estão estruturados para atender os usuários”, disse.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.