TRE afirmou que vereador Marcrean foi detido por fazer boca de urna no Pedregal

Vereador nega prisão e boca de urna no bairro

19

Gazetadigital

O vereador reeleito Marcrean Santos (PP) está sendo acusado de praticar crime de boca de urna em frente a Escola Municipal Orlando Nigro, no bairro Pedregal, em favor do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).  As primeiras informações dadas pelo juiz eleitoral Jurandir Florêncio de Castilho Júnior, era de que o parlamentar teria sido preso em flagrante.

Logo após o anúncio, a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE) informou que o vereador conseguiu fugir do local. Procurado pelo , o vereador alegou que após ter votado, ficou cumprimentado alguns eleitores do bairro, e que a acusação teria partido de pessoas ligadas ao candidato Abílio Júnior (Pode).

 

Leia também – Eleição em Cuiabá será decidida voto a voto neste domingo

 

“Não fui preso, é uma mentira. Eu estava apenas cumprimentando populares que me reconheceram. Fiquei por alguns minutos e depois fui embora. Isso é coisa do pessoal do Abílio que vive de fake news”, disse Marcrean.

 

Segundo uma das testemunhas que acusou o vereador, ele estaria fazendo o transporte de 4 idosos. Após notar a presença da PM, o vereador teria saído do local.

 

Marcrean Santos (PP) foi o segundo vereador mais votado nesta eleição com 3.729 votos. Ferrenho defensor do prefeito Emanuel Pinheiro, Marcrean foi um dos que votaram para a cassação de Abílio Júnior – revertida pela justiça – e pela absolvição de Emanuel Pinheiro na CPI do Paletó.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.