Um grupo de presos reclamam de tortura no presídio de Sinop

23

Depois de uma vistoria realizada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ) e organizada, após a Pastoral Carcerária repassar informações sobre a existência de prática de tortura a um grupo dos 900 presos na  Penitenciária Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop, a direção do presidio e agentes prisionais foram afastados dos cargo.

Denúncias divulgadas na última quarta-feira (16) revelam que os agentes torturavam os presos. A medida foi tomada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) que afastou 12 pessoas, diante dos fortes indícios de tortura e maus tratos aos presos da unidade.

Os defensores públicos que integram o Gaedic expressaram preocupação com a situação encontrada e informaram que farão um relatório para registrar com fotos, declarações, relatos e análises jurídicas o que viram e ouviram dentro da unidade.

O documento será concluído nos próximos dias e assim que estiver pronto, os defensores encaminharão para autoridades públicas, solicitando providências cabíveis.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.