Um grupo de presos reclamam de tortura no presídio de Sinop

103

Depois de uma vistoria realizada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ) e organizada, após a Pastoral Carcerária repassar informações sobre a existência de prática de tortura a um grupo dos 900 presos na  Penitenciária Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop, a direção do presidio e agentes prisionais foram afastados dos cargo.

Denúncias divulgadas na última quarta-feira (16) revelam que os agentes torturavam os presos. A medida foi tomada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) que afastou 12 pessoas, diante dos fortes indícios de tortura e maus tratos aos presos da unidade.

Os defensores públicos que integram o Gaedic expressaram preocupação com a situação encontrada e informaram que farão um relatório para registrar com fotos, declarações, relatos e análises jurídicas o que viram e ouviram dentro da unidade.

O documento será concluído nos próximos dias e assim que estiver pronto, os defensores encaminharão para autoridades públicas, solicitando providências cabíveis.

Deixe uma resposta