Ainda neste semestre, o gás natural vai atender indústrias, transportes e motoristas de aplicativos em Cuiabá

A obra para a canalização na distribuição do gás previa anteriormente, um custo de R$ 23 milhões, mas caiu para R$ 11,5 milhões

6

Com contrato para o recebimento de gás assinado com a Bolívia e a garantia de fornecimento do combustível a Companhia Mato-Grossense de Gás (MT Gás), implementou uma série de ações para fomentar o seu uso pela indústria, por motoristas de aplicativos e até por transportadores de carga leve, em Cuiabá. A distribuição do gás será feita de forma rápida e mais barato. O custo caiu pela metade. Uma obra que custava em torno de R$ 23 milhões será concluída R$ 11,5 milhões.

Um dos principais projetos para este ano é a construção de dutos para levar o gás, de forma mais barata e em maior volume, para as indústrias do Distrito Industrial, na capital. Para concluir toda a estrutura, terá 27 quilômetros de extensão dentro de Cuiabá num prazo de 18 meses.    O gás serpa vendido a R$ 0,89.  “No duto, isso não existe. O gás vai direto como se fosse água, como se fosse energia elétrica. A lógica do sistema que torna o gás mais barato e mais atrativo ainda para a indústria é essa”, disse o presidente da estatal, Rafael Reis.

“O gás vai direto, como se fosse água ou energia elétrica. Esta é a lógica, que o torna mais barato e mais atrativo ainda para a indústria. Serão 27 quilômetros de dutos construídos, com base no projeto que já está em licitação neste mês”, afirmou o presidente da estatal, Rafael Reis.

Ele fala ainda sobre a garantia de fornecimento de gás para Mato Grosso por meio do contrato firme, os benefícios econômicos do uso do gás comparado a outros combustíveis e as ações da estatal para fomentar a matriz energética no estado.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.