Vereador propôs incluir vacinação para os profissionais de funerárias

151

Foto: Hozeander Antonio da Silva

Visando dar cumprimento integral ao Informe Técnico do Ministério da Saúde – Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid e preocupado com a biossegurança dos funcionários da Central Funerária e das Empresas Funerárias de Cuiabá, o Vereador Kássio Coelho endereçou na tarde de ontem Ofícios ao Prefeito Municipal, Emanuel Pinheiro, Secretária de Saúde, Ozenira Félix e Secretário Municipal de Serviços Urbanos, Vanderlúcio Rodrigues da Silva, solicitando a imediata vacinação de todos os funcionários que atendem na Central Funerária de Cuiabá e empresas funerárias estabelecidas nesta Capital.

Tal preocupação é decorrente do contato diário que esses profissionais mantém com as vítimas do Coronavírus, manuseando instrumentos e objetos, contactando com pessoas eventualmente expostas à contaminação pelo vírus, o que os expõe a saúde e integridade pessoal de cada um desses trabalhadores.
O Vereador Kássio Coelho, observando as normas editadas pelo Ministério da Saúde e visando proporcionar a sua parcela de contribuição à vacinação entre os trabalhadores que lidam diretamente com as pessoas expostas e portadoras dessa enfermidade, entende que devam ter primazia na aludida vacinação, assegurando-lhes a possibilidade de imunização e, desta forma, atender com garantia e integridade àqueles que necessitam dos serviços funerários nesta Capital.
O Parlamentar encaminhou àquelas autoridades municipais a Relação contendo os nomes dos funcionários funerários, os respectivos locais de trabalho para que, assim que devidamente organizado pelo Poder Público Municipal possam receber a vacinação pleiteada, na forma, como se disse, orientada pelo Ministério da Saúde.
Segundo o Vereador “esta é uma forma de contribuir com a sociedade cuiabana e assim como os profissionais da área de trabalhos funerários, para que possam prestar um melhor atendimento à demanda, com mais segurança pessoal e tranquilidade a todos aqueles que necessitam desses serviços, principalmente numa época de tantas mortes e de avanço na propagação do vírus.”

Paulo Mattos
Hozeander Antonio da Silva
Da Assessoria

Deixe uma resposta