“O cuiabano precisa se desprender das amarras criadas por políticos e exercer seu poder de cidadão”

19

Durante a campanha eleitoral muitos políticos prometem o início ou conclusão das carências dos bairros: posto de saúde, área de lazer e principalmente das obras relacionadas com a infraestrutura. O Asfalto é o campeão de promessas, pois não tem como esquecer um problema latente durante o verão e sua piora no período chuvoso. A poeira e as poças d’água incomodam desde crianças, trabalhadores até idosos que não tem conforto para se locomover.

Em suas visitas, o vereador T. Coronel Paccola deixa claro as aptidões de um vereador: legislar, fiscalizar e sugerir projetos de lei. “Quem pode responder e executar as demandas do bairro é o Secretário de cada área específica. O que tem acontecido todos estes anos são informações privilegiadas de candidatos e vereadores que utilizam destas, para afirmar que a obra será realizada por ele, uma vez que o contrato, o empenho ou o pagamento já foram concluídos, desta forma é questão de tempo o início ou a conclusão da demanda”, esclarece Paccola.

Dedicado em executar suas bandeiras de Educação Política e Gestão Estratégica, Paccola tem contribuído para elevar o nível de conhecimento dos munícipes. “Tenho obrigação de vir e ouvir as demandas e ajudar a população a organizar os níveis de prioridades das necessidades. Ao tentar “lutar” por tudo que os moradores desejam, por vezes não se avança na conquista. Mas com um planejamento claro e ações direcionadas, os resultados são mais eficazes. É o caminho da sequência de feitos, entre acertos e fracassos, sem perder o entusiasmo que garantem o sucesso das conquistas coletivas, diz.

Paccola afirma que o vereador é apenas um ponto de apoio, não a solução dos problemas e que os moradores precisam mudar o processo e aprender como consultar os contratos para que não voltem a ser ‘enganados’, muito menos deixarem ser “escravizados politicamente”, sendo levados a criar uma relação de dependência desnecessária. “Os que agem com politicagem só pensam nos votos, e por vezes, a não execução de todos os serviços, e por outras, a execução a conta-gotas, é o que lhes garantem a manutenção do chamado “Curral Eleitoral”. A população precisa aprender a se organizar como um Exército Irregular, agindo com ações sincronizadas e não convencionais para que não continuem a serem enganadas, eliminando do cenário político essas lideranças nocivas, que por sua vez, só respeitam e consideram aquilo que temem, na devida proporção de medo vs. respeito.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.