Poconé enfrenta dificuldade para atualizar número de vacinas aplicadas no município

171

A secretária de saúde de Poconé, Ilma Regina Figueiredo de Arruda esclareceu nesta quarta-feira (31), os procedimentos para atualização das vacinas aplicadas até o momento no município. No entanto, ela alega dificuldades no sistema de registros devido à problemas no site do Ministério da Saúde. O governador Mauro Mendes (DEM) chegou alertar os prefeitos para atualizarem os números de vacinados em cada cidade de Mato Grosso. Esse registro deve ser feito no sistema desenvolvido pelo Ministério da Saúde.

Até ontem (30), a prefeitura tinha recebido um total de 5.792 doses das vacinas Coronavac e AstraZeneca. 2.422 doses foram aplicadas nos profissionais da saúde e nos idosos acima dos 70 anos, nos últimos dias.

Ilma explicou ainda, que desde a última segunda-feira (29), o município recebeu outras 2.700 doses, que serão aplicadas na população de comunidades quilombolas, na zona rural do município. Um trabalho está sendo feito com as lideranças dos quilombolas para a obtenção de informações necessárias para a distribuição das vacinas.

A desatualização da aplicação das vacinas gerou dúvidas em um grupo da população que reclamavam nas redes sociais que a prefeitura teria recebido 8 mil doses e aplicados cerca de 5 mil. Ilma disse que a secretaria tem se empenhado para atualizar as informações transparentes para a população. “Estamos fazendo uma força tarefa para colocarmos todas as doses aplicadas, no sistema e atualizadas. Temos problemas com a internet e às vezes, o programa fica fora do ar ”, justificou a secretária.

Segundo ela, a secretaria está trabalhando a primeira e segunda dose das vacinas e que as pessoas já estão sendo atendidas no período certo. Com 15 leitos clínicos para tratar pacientes em situação moderada, a cidade de Poconé enfrenta dificuldade para atender pacientes com casos graves de covid-19. E neste caso, os pacientes são transferidos para as cidades mais próximas, como Várzea Grande e Cuiabá. “É difícil conseguir remover paciente para UTI, até mesmo enfermarias. São transferidos para onde a regulação indicar”, esclareceu.

A UPA municipal também conta com leitos clínicos que podem servir para urgências de covid-19. “No início do mês ficamos com uma paciente entubada por dois dias na upa, aguardando leito”, afirmou.

 

 

Deixe uma resposta