Absurdo: enfermeira quase apanha de um grupo de pessoas que não aceitou reagendar a vacina contra Covid-19

O incidente aconteceu nesta sexta-feira (14), no pólo de vacinação no estacionamento da UFMT

17

Folhamax/Foto: Marcelo Souza

Servidores que atuam na campanha de vacinação em Cuiabá foram agredidos no polo instalado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Por conta disso, a aplicação de doses no local foi suspensa pela Secretaria Municipal de Cuiabá. A vacinação neste polo será retomada na manhã de sábado (15).

No total, 25 servidores atuam diariamente no local entre as atividades de coordenação, imunização e apoio. O motivo da confusão é de que as pessoas que buscariam a 2ª dose da vacina estão comparecendo ao local sem os documentos necessários.

Como divulgado pela prefeitura, a vacinação da segunda dose na capital ocorre mediante o reagendamento e apresentação de QR Code. A agressão ocorreu no momento em que uma profissional da saúde tentava orientar o público.

A enfermeira foi ‘perseguida’ por um grupo de pessoas e chegou a se trancar em um banheiro para se proteger. A Polícia Militar foi acionada.

A vacinação neste polo será retomada na manhã de sábado (15). Os outros polos de vacinação – Centro de Eventos, Sesc Balneário, Assembleia Legislativa e Sesipapa – funcionam normalmente.

NOTA PÚBLICA

A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informa: -Lamentavelmente, na tarde desta sexta-feira (14), servidores que atuam na campanha Vacina Cuiabá – Sua Vida em Primeiro Lugar foram agredidos no polo instalado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT);

-Em razão da peculiar situação, o polo de vacinação instalado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) suspendeu os atendimentos na tarde de hoje (14);

– No total, 25 servidores atuam diariamente no local entre as atividades de coordenação, imunização e apoio;

-Como amplamente divulgado pela Prefeitura de Cuiabá, a vacinação da segunda dose na Capital ocorre mediante o reagendamento e apresentação de QR Code. Mesmo assim, é grande o número de pessoas que procuram a unidade, mas sem a devida conformidade.

-A agressão ocorreu no momento em que uma profissional da saúde tentava orientar o público.  A enfermeira foi ‘perseguida’ por um grupo de pessoas e chegou a se trancar em um banheiro para se proteger. A Polícia Militar foi acionada. 

Deixe uma resposta