Índios de Querência ganham espaço na agricultura

45

Pela primeira vez a prefeitura de Querência em parceria com o Sindicato Rural do município buscou o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) para levar conhecimento, capacitação e qualificação para os povos indígenas da região. Ao todo, são cerca de 3 mil indígenas de 15 etnias, divididos em 26 aldeias.

“Este ano recebemos a solicitação para levar treinamentos para os povos indígenas. Já está no planejamento da secretaria e, agora, precisamos do Sindicato Rural de Querência e do Senar-MT para cumprir o que foi planejado”, destaca o secretário de agricultura, pecuária, meio ambiente e reforma agrária de Querência, Rodrigo Fenner.

Ele esteve com o superintendente do Senar-MT, Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Paulicéia, nesta quinta-feira (13.05), para uma reunião de trabalho. O objetivo foi solicitar os treinamentos e fazer os alinhamentos desta parceria que garantirá os mais diversos cursos para as 26 aldeias do município de Querência.

Chico já adiantou que mobilizará toda a equipe técnica e que fará o possível para atender todas as solicitações feitas pelo Sindicato Rural de Querência e pela prefeitura. “A princípio pediram treinamentos na área de olericultura, agroindústria e também para operação de máquinas e implementos agrícolas”.

Fenner destaca ainda que os indígenas querem fazer cursos para aprenderem a produzir mudas, processar frutas e reaproveitar alimentos. “Só temos a aldeia de Ilha Grande que pretende plantar arroz em 2022. Para estes indígenas vamos levar cursos que ensinem a manusear máquinas e implementos agrícolas para que possam preparar o solo e fazer o manejo da cultura”.

O secretário de Querência conta que terá uma reunião com os indígenas da Ilha Grande já no próximo dia 20. “Eles também querem conhecimento sobre manejo de solo e tudo que os ajudem a cultivar o arroz”.

Deixe uma resposta