Conta da energia elétrica será mais cara neste mês

14

A energia estará mais cara, novamente, em junho. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que a bandeira tarifária para este mês será vermelha. Isso gera um custo de R$ 6,24 para cada 100 kWh consumidos e, consequentemente, encarecimento da conta de energia.

Maio foi o primeiro mês da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) e registrou condições hidrológicas desfavoráveis. Junho, segundo a Aneel, já começa com os reservatórios em níveis mais baixos que o normal para esse período, o que significa pouca geração hidrelétrica e maior demanda por termelétricas – que são mais caras.

Em maio, o Procon-MT publicou um alerta aos consumidores mato-grossenses sobre a antecipação das bandeiras vermelhas 1 e 2, considerando o atual cenário hídrico brasileiro. Segundo a Aneel, o balanço hidrológico do período úmido 2020-2021 resultou no pior aporte hidráulico da história do Sistema Interligado Nacional (SIN), medido desde 1931.

Ou seja, está chovendo pouco no Brasil, e essa condição pesa no bolso e na qualidade de vida do consumidor. Diante do atual cenário hidrológico, a bandeira vermelha poderá ser acionada até dezembro, avalia o engenheiro eletricista Teomar Magri, membro do Conselho de Consumidores de Energia Elétrica de Mato Grosso (Concel-MT).

Frente a isso, o Procon Estadual tem reforçado as ações de monitoramento e fiscalização para que não haja abusos e descumprimento da legislação. Paralelamente, a instituição vem realizando uma avaliação detalhada do sistema que envolve o serviço de fornecimento de energia elétrica em Mato Grosso.

Os consumidores devem acompanhar o histórico de consumo, identificar os meses em que há aumento da demanda por energia elétrica e, assim, adequar sua rotina a hábitos de consumo mais econômicos. Ao acompanhar mensalmente a fatura, também fica mais fácil identificar qualquer irregularidade na cobrança.

Deixe uma resposta