Em Sinop, vereador é preso acusado de contrabando de agrotóxicos entre o Paraguai e China

35

A Polícia Federal deflagrou na manhã dessa quarta-feira (04), a Operação Terra Envenenada fase 2, nos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. Entre os alvos, está o vereador de Sinop, Toninho Bernardes (PL).

Nesta manhã, agentes ainda cumprem mandado de busca e apreensão na residência e no gabinete do parlamentar na Câmara de Vereadores. A participação dele nas frades envolvendo o contrabando de agrotóxicos não foi explicada.

O objetivo da ação foi o combate ao ingresso, transporte e comercialização de agrotóxicos ilegalmente importados mediante extensa rede criminosa formada a partir do Paraguai e China até o norte de Mato Grosso.

Foram expedidos 15 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão, expedidos pela Justiça Federal que foram cumpridos nas cidades de Sinop, Sorriso, Feliz Natal, no Estado de Mato Grosso, além de São Paulo, Campo Grande e Terra Roxa, no Paraná. Por conta do sigilo da decisão judicial não foram divulgados os demais alvos.

A investigação originou-se da análise do material e depoimentos colhidos na primeira fase da operação, quando foi desmantelada organização criminosa e apreendida mais de uma tonelada de agroquímicos contrabandeados ou adulterados.

Desde essa etapa inicial, a Polícia Federal intensificou as investigações e identificou grandes grupos de fornecedores regionais e nacionais, cujos líderes e integrantes foram presos nesta data.

Foram apreendidos documentos e materiais de interesse para investigação, agrotóxicos, além de armas irregulares.

Os investigados responderão por comercialização e transporte de agroquímicos de uso proscrito (artigo 15 da Lei n° 7.802/89), constituição de organização criminosa (artigo 2° da Lei n° 12.850/2013), lavagem de dinheiro e outros crimes que vierem a ser descobertos. As penas variam de 2 (dois) a 10 (dez) anos de reclusão.

Deixe uma resposta