Programa de saúde municipal incentiva gestantes e puérperas a amamentarem seus filhos

18

As unidades básicas de saúde (UBS) dos bairros Praeiro, Parque Cuiabá e Residencial Ilza Terezinha Picolli Pagot realizaram, ao longo desta semana, palestras e oficinas sobre amamentação com gestantes e puérperas atendidas pelas equipes de saúde da família, algumas em parceria com o Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em comemoração ao Agosto Dourado, mês de conscientização e promoção do aleitamento materno.

A enfermeira Marcela de Souza Lima, da UBS do bairro Praeiro, conta que as palestras ocorrem sempre numa segunda-feira do mês. “Falamos sobre o aleitamento materno, banho no recém-nascido, mitos e verdades da amamentação. Elas gostaram muito”, relata a enfermeira. Marcela destaca ainda que as informações relativas ao aleitamento materno já são repassadas às pacientes de forma rotineira, sempre no pré-natal ou no retorno pós-parto. “Atendemos as puérperas conforme vão surgindo as demandas, a mulher ganha o bebê e já avaliamos”, diz.

Na UBS do Residencial Ilza Terezinha Picolli Pagot, 75 mulheres grávidas ou puérperas fazem acompanhamento médico e foram contempladas com palestra e oficina com a enfermeira e consultora em amamentação Isadora Ribeiro. Mais do que teoria, a profissional partiu para a prática com as pacientes que participaram e puderam ter a oportunidade de treinar a técnica da amamentação, através de um avental com seios e uma boneca de pano, que simulava o bebê.

Isadora Ribeira conta que antes da pandemia chegou a realizar mais de 30 palestras nas unidades básicas de saúde no Agosto Dourado, no entanto, com a pandemia, houve uma restrição devido aos cuidados que são necessários, principalmente às grávidas e puérperas, que são grupo de risco para a covid-19. “Todos os anos as unidades de saúde se preparam para os eventos em aleitamento materno. Devido à pandemia, a gente tem que tomar alguns cuidados porque as gestantes e puérperas fazem parte do grupo de risco, então a gente tem que fazer com um número reduzido. Eu irei ao Ilza Terezinha Picolli mais de uma vez porque ali é um bairro que concentra um grande número de gestantes. Então, para não ter aglomeração, eu irei na unidade várias vezes para poder falar sobre o aleitamento materno”, afirma.

Deixe uma resposta