Pesquisa revela que renda de mato-grossenses não acompanha a inflação

A intenção de compras é tímida diante do fraco poder aquisitivo da população, aponta Maurício Munhoz do IPFMT

17

A última pesquisa de Intenção de Consumo da Famílias (ICF) em Cuiabá, do mês de agosto, registrou alta de 3,8% sobre o mês anterior e chegou a 69,6 pontos, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A análise feita pelo Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio (IPF-MT), alerta para a alta da inflação, o que pode frear a expectativa de consumo dos cuiabanos para os próximos meses.

A pontuação atual mantém crescimento observado desde maio de 2021, no entanto, está 5,3% inferior do que o registrado em janeiro deste ano, quando somava 73,5 pontos, quando a inflação puxava a taxa Selic para o patamar mínimo histórico de 2%. Ainda assim, é importante destacar que em agosto de 2020 o índice era 57,2 pontos.

O presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, reforçou a preocupação com a alta da inflação, apesar dos bons números da pesquisa. “O cidadão está mais seguro com relação ao emprego, porém, há um alerta: a percepção de que a renda atual está em queda, o que é reflexo da inflação que está em ascendência em todo país”, disse Wenceslau Júnior.

Segundo a análise do IPF-MT, o mês de abril de 2021 interrompeu, com uma forte queda, a tendência de melhora da pesquisa, que vinha sendo observada nos últimos 13 meses. “Os efeitos pandêmicos da Covid-19 continuam a afetar o aumento da intenção de consumo das famílias na capital. O risco da inflação em alta tem freado o nível de consumo atual, apesar da recuperação do emprego”, explicou o diretor de pesquisas do IPF-MT, Maurício Munhoz.

Além disso, o IPF-MT destaca que aqueles que recebem menos de 10 salários mínimos, como renda mensal, estão sentindo mais os efeitos da inflação no país. “Apesar dos números positivos na economia e da intenção de consumo do cuiabano, é preciso que fiquemos alertas com os índices inflacionários”, concluiu Munhoz.

O Sistema S do Comércio, composto pela Fecomércio, Sesc e Senac em Mato Grosso, é presidido por José Wenceslau de Souza Júnior. A entidade é filiada à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que está sob o comando de José Roberto Tadros.

Deixe uma resposta