Vice-prefeito reforça os direitos trabalhistas dos servidores públicos municipais

19

O vice-prefeito de Cuiabá, José Roberto Stopa (PV), que também é secretário de Obras do município, reforçou ontem (13), que partir de 2022, todos os direitos trabalhistas dos servidores municipais continuarão sendo cumpridos integralmente. Entre eles, o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), que já é pago pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).  Stopa foi uma das personalidades políticas convidadas ao encontro nacional da Confederação Nacional das Carreiras e Atividades Típicas de Estado (CONACATE), em Cuiabá.

O evento que reuniu deputados federais e lideranças sindicais teve como objetivo fortalecer os servidores públicos municipais para debaterem o processo de votação da PEC 32 em tramitação em Brasília, que segundo os sindicalistas, poderá acabar com direitos trabalhistas e históricos adquiridos ao longo dos tempos.

“A RGA entre outros direitos dos nossos servidores municipais continuarão sendo cumpridos integralmente, podem ter certeza disso”, disse Stopa. Ele aproveitou para agradecer 90% dos sindicatos que apoiaram a chapa Emanuel Pinheiro e Stopa, à reeleição em 2020. “Podemos afirmar que a maioria das categorias sindicais nos apoiou durante todo o processo eleitoral”, ressaltou.

Alguns setores da educação aproveitaram o evento para reivindicar, a troca de moneclatura de suas atividades nas escolas do município. De acordo com Stopa, a análise do assunto, está sendo feita pela Procuradoria Geral do Município (PGM) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para averiguar a ordem legal da proposta dos servidores. “Eles prestaram concurso para uma moneclatura e estão pedindo que o município mude para outra. O pedido é legítimo, mas precisamos saber se será legal a possibilidade de uma mudança. Tudo que for pela melhoria, a gestão municipal tem interesse de realizar, mas precisamos observar os quesitos da legalidade”, esclareceu Stopa.

Ao avaliar a gestão municipal com as reivindicações dos servidores, Stopa pregou o fim do “mito” de fazer uma boa gestão na área de infraestrutura ou se valoriza o servidor público. “Temos que acabar com esse mito. É possível fazer as duas coisas, ou seja, obras e também respeitar o servidor público”, assegurou Stopa, que também é servidor concursado da educação há 36 anos em Cuiabá.

 

 

 

Deixe uma resposta