Dilmar afirmou que Assembleia Legislativa foi fundamental para assinatura do contrato de 730 km de ferrovia estadual em MT

27

Deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM)  salientou na manhã desta segunda-feira (20), em Cuiabá, que a Assembleia Legislativa teve um papel fundamental para a criação da ferrovia estadual em Mato Grosso. A realização desta obra contará com investimento inicial de R$ 11,2 bilhões. “Primeiro temos que agradecer ao governador Mauro Mendes e o vice, Otaviano Pivetta, mas não poderia deixar de mencionar a AL, que aprovou uma legislação para que a gente tivesse a ferrovia estadual dentro de MT, que deverá investir mais de R$ 11 bilhões, com isso, estaremos interligando Rondonópolis com Cuiabá, Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, agregando mais recursos e diminuindo o custo da nossa produção, trazendo benefícios a todo setor produtivo do estado, não irá beneficiar somente o agricultor, mas nossas industrias, o comercio, a geração de emprego e renda, tenho certeza absoluta, que é muito importante essa ferrovia”, disse Dilmar.

Juntamente com o governador Mauro Mendes, o deputado participou da assinatura do contrato entre o governo do estado e a Rumo Logística, para construção da 1ª Ferrovia Estadual de Mato Grosso, chamada de FATO – Ferrovia de Transporte Autorizada Olacyr de Moraes. O ato também foi realizado nos municípios de Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, no norte do estado, municípios que também receberão um terminal ferroviário.

Serão 730 quilômetros de malha ferroviária em MT, que interligarão os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, interligando a malha ferroviária brasileira, chegando até o Porto de Santos, em São Paulo.

Em Nova Mutum, deputado comentou sobre a geração de emprego que deve atingir um recorde, passando de 230 mil empregos diretos e indiretos. “É importante salientar que a geração de empregos nesse setor, com a construção dessa ferrovia, irá movimentar todos os setores no estado, passaremos de 230 mil empregos diretos e indiretos, com a previsão de que o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estará funcionando em 2025; Nova Mutum em 2027, finalizando Lucas do Rio Verde, que deverá iniciar suas operações em 2028”, finalizou Dilmar.

Para o governador, esse avanço logístico é mais uma alternativa importante e sustentável para o escoamento de grãos, cuja produção em Mato Grosso pode superar as 120 milhões de toneladas anuais até 2030. “Melhorando a logística, melhora o processo de desenvolvimento e crescimento do Estado, lembrando que sem a ferrovia, iríamos entupir todas as rodovias para atender a essa crescente demanda, gerando um prejuízo ambiental gigantesco”, disse.

Governador comentou ainda que a ferrovia vai ter um impacto muito positivo, porque é uma opção com baixa emissão de carbono e ambientalmente sustentável.

Deixe uma resposta