Vídeo mostra paciente implorando atendimento em posto entre os bairros Terra Nova e Canjica

O paciente que não foi atendido devido ao horário de almoço de todos os funcionários, teve que esperar pelo Samu sentindo dores, indignação e humilhação pelo descaso de alguns servidores da saúde municipal

128

Midianews

 

Resposta da SMS

Em relação ao vídeo gravado na UBS Canjica/Terra Nova que circula nas redes sociais, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que:

– O vídeo foi gravado no horário de almoço da equipe, que é das 11h às 13h, conforme padronização do Ministério da Saúde para esse tipo de estabelecimento. Nesse período, apenas o vigilante, agente administrativo e auxiliar de serviços gerais encontravam-se dentro do prédio almoçando. Os mesmos não têm formação em saúde para prestar atendimento.

– Os mesmos informaram ao paciente e acompanhante que não havia nenhum profissional especializado para prestar o socorro e orientaram aguardar o retorno dos servidores do horário de almoço ou buscar uma Unidade de Pronto Atendimento, que funciona 24 horas.

– O paciente optou por esperar e, após alguns minutos, teve uma crise de choro e deitou-se no piso em frente à porta de entrada da unidade. No momento, havia pouco mais de 10 pessoas aguardando a reabertura da unidade. Desses, dois pacientes pressionaram os funcionários para abrir a unidade e atender o rapaz que estava ao chão, inclusive um deles exigiu que o agente administrativo aferisse a pressão arterial do paciente.

– Por sua vez, o funcionário, que não é qualificado para tal procedimento, se prontificou a chamar um motorista de aplicativo ou a ambulância do SAMU, pois não viu outra alternativa imediata. O mesmo acionou o SAMU de seu celular pessoal, tendo a ambulância chegado às 13h, momento da reabertura da unidade e chegada da enfermeira da equipe do Terra Nova e médicos das equipes do Canjica e Terra Nova.

– Por aparentemente sentir fortes dores, o paciente foi levado pelo SAMU.

– A SMS destaca que as unidades básicas de saúde são voltadas para atendimentos de rotina e casos leves de doenças e orienta que, em casos mais graves e urgentes, os usuários busquem as UPAs e Policlínicas.

Deixe uma resposta