Em Chapada dos Guimarães, não há risco de desmoronamento de rochas, segundo a Defesa Civil

92

Representantes da Defesa Civil de Mato Grosso, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) e Corpo de Bombeiros avaliaram os riscos de desabamento dos paredões no trecho da MT-251, conhecido como Portão do Inferno, que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães. Por se tratar de um dos pontos turísticos entre as duas cidades, os órgão de segurança pública visitaram a região nesta segunda-feira (10). O prefeito Osmar Froner (MDB) também participou das vistorias.

O sinal de alerta veio após aos diversos problemas que as chuvas têm causado em todo o país, a exemplo da tragédia ocorrida no estado de Minas Gerais, onde dez pessoas morreram após a queda de parte de um paredão de rochas em uma área turística de Capitólio.

No ponto turístico é comum o deslizamento de terras, como ocorreu em novembro do ano passado. A mesma situação teria ocorrido também em 2016, por causa das fortes chuvas.

Cabe relembrar que no ano de 2008 a cachoeira do Véu de Noiva também foi palco de uma tragédia semelhante ao ocorrido em Minhas Gerais, e causou a morte de uma adolescente de 17 anos e deixou 20 pessoas feridas.

Deixe uma resposta