Em Cáceres, onça-pintada domesticada foi retirada de fazendeiro

Após denúncias, o animal foi transferido para o um instituto de cuidados de animais silvestres fiscalizado pela Sema

8

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e o Batalhão de Policia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) fizeram nesta quarta-feira (02.01) a contenção e destinação de uma onça-pintada (Panthera onca) para a reserva do Instituto Nex, em Goiás. O animal  vinha sendo mantido, desde filhote, em uma fazenda em Cáceres (219 km de Cuiabá), com vida livre e comportamento dócil.

A retirada do animal foi necessária devido a aproximação com humanos do entorno, o que facilita uma possível caça do animal, que está em extinção. Conforme os responsáveis pela área, ainda filhote, a onça foi resgatada após incêndios no ano de 2020, e desde então, tem sido alimentada por humanos. Denominada de Marruá pelos moradores da fazenda, a onça é fêmea, e tem aproximadamente dois anos de idade.

“Pelo fato dela estar muito dócil e domesticada não será possível a soltura em habitat natural. Por enquanto, ela ficará em um recinto sob a guarda do Instituto Nex”, explica Fernando Siqueira, Gerente de Fauna da Sema.

A Sema orienta que quem encontrar filhotes de animais silvestres, ou até mesmo animais adultos que estejam em ambienta urbano, ou com ferimentos, que entra em contato com a Sem ou Batalhão ambiental para a retirada do animal. “Orientamos que seja feita a entrega voluntária do animal para que passe pelos cuidados necessários e seja dada a destinação correta”, conta.

O Instituto de Preservação e Defesa de Felídeos da Fauna Silvestre do Brasil em Processo de Extinção (NEX) possui um refúgio onde os felinos resgatados com ferimentos ou em situação de risco são acolhidos e cuidados. As tratativas para a destinação do animal também contaram com a participação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais e do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos (CENAP).

Deixe uma resposta