Ainda neste semestre, Mato Grosso voltará a ser referência no transplante de órgãos

Na última quinta-feira (17), mais um procedimento foi realizado, para a doação de um fígado, dois rins e as córneas de um paciente que teve morte encefálica

9

Aos poucos, a Central Estadual de Transplantes de Mato Grosso vem retomando, suas atividades que estavam suspensas há quase dez anos. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) anunciou a inauguração de uma nova estrutura nos próximos meses para reduzir a fila de pacientes à espera de algum tipo de órgão. Na última quinta-feira (17), mais um procedimento foi realizado, para a doação de um fígado, dois rins e as córneas de um paciente que teve morte encefálica, após a decisão e autorização de seus familiares.

O processo para retirada e doação de órgãos iniciou com a equipe médica do Hospital Geral em Cuiabá, que  notificou a Central Estadual de Transplantes sobre a doação dos órgãos.

A SES tem investido a reestruturação da Central Estadual de Transplantes, com ampliação da equipe, implantação da Comissão intra-hospitalar de doação de órgãos e tecidos para transplante e capacitação dos profissionais médicos dos hospitais públicos e privados do estado. Essas ações visam à ampliação do número de captações de órgãos nos próximos meses.

De 2019 a fevereiro de 2022, a Central Estadual realizou sete processos de captação de múltiplos órgãos semelhantes a este no Estado. Neste mesmo período, foram realizados 327 processos de captações de tecidos oculares (córneas) em Mato Grosso. Com relação ao transplante de córneas, o estado alcançou o total de 508 transplantes nos últimos três anos.

De acordo com a superintendente de Regulação em Saúde da SES, Dúbia Beatriz Oliveira, os pacientes que receberão os órgãos estão cadastrados na fila no Sistema Nacional de Transplante, à espera de um transplante. “À família doadora, nossos mais profundos sentimentos de gratidão e respeito. Através desse gesto nobre, cinco pessoas terão nova condição de vida e, juntamente com seus familiares, deixarão de sofrer a partir desta doação”, disse.

Atualmente, os pacientes de Mato Grosso que precisam de transplante de rim e outros órgãos como fígado, pâncreas e coração são transplantados em outros estados, por meio do serviço de Tratamento Fora Domicílio do Sistema Único de Saúde (SUS). Para os pacientes de Mato Grosso, os gastos com locomoção e a ajuda de custo para estadia e alimentação do paciente são pagos pela SES-MT.

Deixe uma resposta