Pré-candidata a federal rejeita qualquer tipo de apoio a Emanuel Pinheiro ao Governo

Gisela Simona afirmou que o Pros avalia as candidaturas ao governo e busca apoio aos candidatos proporcionais pela sigla

37

Foto: Jonas Silva

A pré-candidata a deputada federal Gisela Simona, pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS) alegou decisão pessoal ao rejeitar a possibilidade de seu partido apoiar uma eventual candidatura do atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), ao governo do estado, nas eleições majoritárias deste ano. “Minha decisão pessoal é de não apoiar. Mas do partido só se tiver uma discussão futura”, alegou Gisela.

Até o final de 2021, Emanuel Pinheiro abrigou o sindicalista e militante do Pros, Oscarlino Alves de arruda Júnior, como secretário municipal de turismo em Cuiabá. Gisela que não mostrou interesse em apoiar Mauro Mendes, justificou sua oposição a Emanuel Pinheiro, diante das falhas administrativas da prefeitura de Cuiabá, especificamente, no setor da saúde. “Tivemos a oportunidade de conhecer os problemas de Cuiabá, sabemos de todas as deficiências da capital e infelizmente mesmo no segundo mandato, o prefeito não agiu no sentido de atender as necessidades da população principalmente na área da saúde”, avaliou.

A socialista ressaltou que nunca apoiou a atual gestão na capital que ficou marcada por escândalos administrativos e não tem sentido mudar de postura numa eventual candidatura do prefeito, que fala em disputar o governo do Estado.

A sigla de Gisela avalia ainda, os desdobramentos das federações partidárias até 2 de abril. “São situações que devem ser analisadas para não servirmos de escadas para os outros”, alertou. O Pros está formando uma chapa competitiva para eleger deputados estaduais e federal e trabalha para obter 185 mil votos, conforme o coeficiente eleitoral. “A chapa não está concluída, mas é competitiva para atingirmos o coeficiente eleitoral”, afirmou.

O PROS tem conversado com diversas siglas para possíveis apoios aos pré-candidaturas com potencial à formação de chapa alternativa ao governo do Estado. No entanto, até o momento, o governador Mauro Mendes (DEM) não mencionou desejo de disputar a reeleição. Ele prefere aguardar o prazo limite de avaliação pelo DEM e pela legislação eleitoral. O Pros não terá candidaturas ao Senado e nem ao Governo, mas vem trabalhando as pré-candidaturas para as eleições proporcionais.

Na construção de provisórias pelo interior de Mato Grosso, Gisela Simona recebeu convites para disputar as eleições fora do Pros, mas prefere se manter na sigla. “Todos os convites são importantes”, disse.

Deixe uma resposta