Redeiras de Várzea Grande não pagarão ICMS para continuarem confeccionar seus produtos

5

As redeiras do Distrito de Limpo Grande, em Várzea Grande, ganharam um incentivo a mais para continuar a tecer as tradicionais peças produzidas na comunidade. Ontem (31), quarenta mulheres receberam a Carteira Nacional de Artesão entregues pela equipe do Programa do Artesanato Mato-Grossense (PAB/MT) da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso e o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat.

Com a carteira de artesão em mãos, as redeiras passaram a ter direito a incentivos fiscais, isenção do ICMS na comercialização de seus produtos, facilidade de obter microcrédito, poderão emitir nota fiscal avulsa de Emissão Eletrônica (e-NFA) e contribuir como autônomas para fins previdenciários. Além disso, podem participar de feiras de artesanato nacionais e internacionais e se inscrever em oficinas e cursos de artesanato.

Benefícios que segundo a coordenadora do PAB/MT, Lourdes Sampaio, irão contribuir para o desenvolvimento da tradicional arte produzida na comunidade.

“A carteira de artesão irá ajudar muito as redeiras de Limpo Grande que vão poder ampliar seus negócios, já que poderão realizar financiamentos para aumentar a produção, adquirir matéria-prima para confeccionar seus trabalhos e ter redução no pagamento de impostos”, relata.

Alcance

O trabalho manual feito pelas redeiras – a rede e o modo de fazer da rede várzea-grandense – é reconhecido como patrimônio cultural material e imaterial do Município de Várzea Grande, por meio da Lei 4.406, sancionada em outubro de 2018.

A arte de Limpo Grande, inclusive, conquistou a estilista Martha Medeiros que firmou parceria com a Associação de Redeiras Limpo Grande- Tece Arte e o herdeiro do trono britânico, príncipe Charles, presenteado com uma rede, pela primeira-dama de Mato Grosso, Vírginia Mendes, em novembro do ano passado.

Deixe uma resposta