Mais oportunidade no campo: Trabalhador aumenta renda domando cavalos

42

 

Ter mais produtividade gastando menos tempo. Esse foi o principal benefício dos cursos realizados por Anderson dos Santos, trabalhador rural e domador de equinos e muares em Dom Aquino. O profissional concluiu cerca de dez treinamentos do Sindicato Rural e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), todos na parte de pecuária.

Anderson sempre trabalhou nesta área, mas confessa que após os treinamentos, a gestão do tempo melhorou significativamente. “Antes para corrigir um animal levava de um a dois meses e só depois dos cursos que as coisas clarearam. Hoje, eu consigo corrigir um animal em algumas horas, serviço que levava semanas”, destaca.

Claudinei e Anderson durante treinamento

Aos 29 anos, o profissional é trabalhador em uma fazenda onde lida com gado e somente nas horas vagas doma cavalos. Segundo Anderson, ele está com pouco tempo para tanto serviço e o único marketing utilizado para divulgar os seus trabalhos foi o famoso ‘boca-a-boca’. “Eu fiquei bem mais conhecido depois que melhorei as técnicas e muitos clientes chegam até mim por meio de indicação. As pessoas vêem um cavalo bem domado, querem saber quem domou e entram em contato”.

Dentre os cursos realizados estiveram casqueamento e ferrageamento, rédeas de equinos, domas de muares, agente de saúde animal, domas de equinos etc. Além dos conhecimentos durante as capacitações, Anderson destaca que o contato com outros profissionais que conheceu nos treinamentos auxilia até hoje. “Sempre quando tenho alguma dúvida, ligo para os instrutores que conheci e eles me esclarecem na hora. Ter alguém para te ajudar, deixa tudo mais fácil”.

Um deles é Claudinei Sanches Garcia, instrutor credenciado ao Senar-MT que possui experiência como domador de muares e equinos há 20 anos. Segundo o profissional, as técnicas mudaram ao longo dos anos e o treinamento faz diferença até para trabalhadores experientes. “Hoje, você doma com muito mais técnica e sabedoria. Afinal, não existem animais ruins, existem trabalhadores sem conhecimento”.

Segundo Garcia, após as 40 horas de capacitação, o profissional já sai habilitado para trabalhar na área. “Nós, instrutores, estamos sempre nos capacitando e com isso, ensinamos diversas técnicas de domas aos alunos para facilitar o trabalho no campo”.

As capacitações são ofertadas sem qualquer custo aos participantes, graças aos recursos do produtor rural. Os interessados devem entrar em contato com o Sindicato Rural que atende a sua localidade. No site do Sistema Famato está disponível o contato de todos os 94 Sindicatos do estado.

Deixe uma resposta