Comissão de saúde alertou sobre atraso de repasse de R$ 3 milhões para a UTI pediátrica do Hospital de Câncer MT

29

Foto: Helder Faria

A Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia Legislativa realizou visita técnica ao Hospital de Câncer de Mato Grosso na tarde de quarta-feira (9) e cobrou que seja feito o repasse à unidade do montante de R$ 3 milhões oriundos de orçamento do Parlamento estadual para funcionamento de 10 leitos de UTI pediátrica. Disponibilizados em 2019 pela Assembleia Legislativa, os recursos ainda não foram recebidos pelo hospital devido a questões burocráticas envolvendo estado e município.

“Há um ano, a Comissão de Saúde esteve aqui no hospital com vários deputados, fizemos um convencimento junto ao Parlamento e doamos R$ 3 milhões à gestão da Secretaria de Estado de Saúde para que pudesse, juntamente com o município de Cuiabá, credenciar os 10 leitos de UTI pediátrica. Hoje viemos aqui mais uma vez fiscalizar e cobrar para que as questões políticas não prejudiquem o sistema público de saúde, uma vez que já passou o período eleitoral. Não é justo crianças morrerem na fila esperando atendimento e ter uma estrutura de primeiro mundo aqui. A Assembleia fez a sua parte. Queremos saber por que não avançou”, declarou o deputado Paulo Araújo (PP).

A UTI pediátrica do Hospital de Câncer foi inaugurada em agosto de 2018 e conta com leitos totalmente equipados para atender pacientes de zero a 14 anos, bem como com equipe médica constituída e treinada. Apesar disso, nunca recebeu nenhum paciente.

Segundo Laudemi Nogueira, presidente do hospital, o custo médio mensal para manutenção dos 10 leitos é de R$ 500 mil. Sendo assim, os recursos disponibilizados pela Assembleia Legislativa seriam suficientes para mantê-los funcionando durante seis meses, enquanto corre o processo de credenciamento e habilitação junto ao Ministério da Saúde, que permitirá a realização de atendimentos de pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Nogueira afirmou que a UTI pediátrica foi construída com recursos de doações, levantados por meio de projetos realizados ao longo de quatro anos, e segue os mais rigorosos critérios para funcionamento, tendo sido, inclusive, liberada pela vigilância sanitária. Explicou ainda que, além de crianças que precisam de internação, a UTI é necessária para a realização de procedimentos cirúrgicos que precisam de retaguarda para ser realizados. Atualmente há cerca de 100 crianças em tratamento permanente no hospital.

“A nossa missão é muito maior do que qualquer discussão de coloração partidária. A nossa missão é cuidar do paciente oncológico do estado de Mato Grosso e, nesse momento, a preocupação que nós temos é com as nossas crianças, porque a ausência da UTI pode levar várias à perda do tratamento ao seu tempo, principalmente por falta de cirurgias”, ressaltou.

Vice-presidente da Comissão de Saúde, o deputado Dr. João (MDB) destacou a importância da união de todos os entes para um mesmo objetivo. “A nossa bandeira agora tem que ser Cuiabá e Mato Grosso”.

O deputado Dr. Gimenez (PV) lamentou que entraves burocráticos estejam impedindo o funcionamento dos leitos de UTI e reforçou o compromisso da Comissão de Saúde com a causa. “Iremos novamente reunir os colegas da comissão, a direção do hospital, gestores da saúde do estado e do município e quem mais for da competência para alinhar isso tudo. Não podemos mais ficar com uma UTI parada com dinheiro da Assembleia já liberado. Quem perde com isso é a população, sobretudo as crianças. Crianças perderam a vida ao longo desse ano e isso nós não podemos admitir”.

Também participou da visita técnica o deputado Xuxu Dal’Molin (PSC).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.