Em Sorriso, chuvas intensas acabam com a colheita da soja na região

106

Foto: Sindicato Rural de Sorriso

As chuvas que já duram pelo menos quatro dias alagaram as lavouras de fazendas em Sorriso, a 420 km de Cuiabá. Os produtores alegam prejuízos porque não conseguem fazer a colheita da soja e nem o plantio do milho. As lavouras estão alagadas e os maquinários usados no trabalho acabam atolando.

De acordo com Silvano Filipetto, presidente do Sindicato Rural de Sorriso, os produtores estão apreensivos.

“A nossa preocupação está muito grande. Estamos com chuvas fortes há mais de quatro dias. São chuvas absurdas e fora do normal, entre 230 a 260 milímetros até essa manhã [de terça-feira], e podemos passar de 300 milímetros”, comentou Filipetto.

O sindicato rural orienta os produtores a tirarem fotos e filmarem. As imagens serão enviadas para a defesa civil que tomará as medidas.

“Temos apenas 50% do milho plantado e a preocupação é tirar a soja. Foi um ano bom de preço, mas não sabemos se vai ter soja [o suficiente]”, argumentou o presidente.

Ainda há 90% de probabilidade de chuva na região de Sorriso nos próximos dias, inclusive no final de semana.

Frete caro

Há duas semanas os produtores também enfrentavam outro problema: o frete está até 9% mais caro em Mato Grosso. Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a regulação entre a oferta e demanda fez o frete subir de 2 a 9% no estado. Em algumas rotas, como a BR-163, uma das principais, o frete chega a R$ 163 por tonelada.

Deixe uma resposta