Rendeira que herdou ofício de sua mãe amplia clientela Brasil à fora

9

A várzea-grandense Eva Lemes de França, de 47 anos, é um exemplo de empreendedorismo de sucesso em Mato Grosso. Eva se encontrou no mundo do artesanato, há 34 anos, confeccionando redes, talento descoberto aos 13 anos de idade e herdado da mãe. Com o apoio do Governo de Mato Grosso, por meio das ações de fomento realizadas pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), as redes de Eva já conquistaram clientes de Estados como Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo.

Habilidosa, a redeira consegue confeccionar cinco redes por ano. O capricho dos detalhes de suas redes é construído aos poucos, na calmaria que a criatividade exige dela.

“Eu demoro em média três meses para fazer uma rede, não é fácil como todos imaginam. Aprendi assistindo minha mãe fazendo redes em casa. Morávamos em um sítio e era uma forma que minha mãe encontrava para ajudar meu pai com as despesas. Minha mãe não gostava que eu a visse fazendo as redes, mas eu tinha muito orgulho dela, e de tanto olhar ela, ali sentada fazendo cada detalhes, aprendi e, hoje, a venda das redes me ajuda com o orçamento familiar”, conta Eva.

Apoiada pelo Governo do Estado e pela Associação de Redeiras Limpo Grande – Tece Arte, a artesã conta ainda que suas redes custam cerca de R$ 3,5 mil, os valores dependem do tipo da rede e do bordado.

As redes confeccionadas pela Eva são comercializadas em feiras nacionais, exposições e eventos culturais.

As portas abertas para a comercialização das redes da artesã são viabilizadas pela Sedec e pela Associação da qual Eva faz parte. Ela foi cadastrada pela secretaria estadual e há alguns anos conta com os benefícios da carteira nacional do artesão, por meio do Programa Artesanato Mato-grossense.

Deixe uma resposta