Vereadora lembra que projetos do executivo dependerão do reparcelamento dos débitos com AcorizalPrev

46

A vereadora e 1ª Secretária, Maria Auxiliadora (DEM), na Câmara de Acorizal se mostrou contrariada aos desmandos dos prefeitos anteriores, que não mantiveram os repasses constitucionais, para o AcorizalPrev. No entanto, ela votou favorável na expectativa de que a nova gestão, que tem a frente o ex-vereador, Diego Taques (PSD), cumpra com a obrigatoriedade dos pagamentos e repasses da prefeitura. A vereadora justificou, que amarrou a obrigação, num dos artigos da lei municipal, aprovada na última quinta-feira (24), autorizando o reparcelamento da dívida municipal, com o fundo da previdência dos servidores públicos.  “Amarramos em parágrafo, que caso o município não cumpra o seu dever, os vereadores não votam mais projetos para reparcelar os débitos com a previdência”, assegurou a vereadora.

Segundo ela, debater sobre dívidas da contribuição que o servidor já pagou ao AcorizalPrev foi muito ‘chato’. “Há tempo que não se fazia o pagamento dos valores descontados dos servidores e nem do valor que é obrigação da prefeitura. Isso dói, sabermos que vão retirar de novo, os recursos para pagar aquilo que nós não sabemos para onde foi”, observou.

Na avaliação de Maria Auxiliadora, o município sofreu, foi penalizado e por isso, não recebe as verbas de direito pelo fato de as certidões não serem liberadas pelos órgãos federais e estaduais. “Essa situação era o ‘calcanhar de aquiles’ da prefeitura e tínhamos que aprovar o reparcelamento dessa dívida, porque queremos que o nosso município possa receber de fato as emendas parlamentares e não fique somente nas postagens de fotos”, argumentou a vereadora.

Ela também defendeu, a atualização dos pagamentos nos reajustes salariais dos servidores referentes a revisão Geral Anual. “E sobre a RGA, trata-se de um direito dos servidores que vão continuar contando com o apoio de todos os vereadores”, afirmou a vereadora.

Deixe uma resposta